Covilhã cidade neve, assim cantava Amália Rodrigues. A paixão da fadista pela cidade ficou eternamente celebrizada nesta canção. Quem hoje em dia escolhe a Covilhã para estudar pode não lhe dedicar uma canção na hora da despedida, mas com um lugar no coração é difícil não ficar.

Tão antiga como o próprio país, a Covilhã foi reconhecida como vila logo em 1186, no reinado de D. Sancho I. É, contudo, com o Terramoto de 1755 que a cidade vai ver a sua face alterada para sempre. A instalação da Real Fábrica de Panos, fundada pelo Rei D. José, e inserida no plano de desenvolvimento industrial promovido pelo Marquês de Pombal, abriu a caixa de Pandora da economia em maior escala. Até meados do século XX, foi uma das cidades mais industrializadas de Portugal. Não é, por isso, estranho os habitantes da região apelidarem a Covilhã de Manchester Portuguesa. A crise no sector têxtil no final dos anos 90 acabou por ter dois lados, um bom e um menos bom: Se é verdade que a Covilhã perdeu relevância ao nível da indústria e do comércio, não é menos verdade que conseguiu adquiriu um papel ao nível académico que nenhuma outra cidade portuguesa do interior experimentou. E isto em pouco mais de 20 anos. De facto, a Universidade da Beira Interior (UBI) é hoje a imagem de marca de toda uma região.

Se és um dos mais de sete mil estudantes que frequentam a UBI, primeiro que tudo, parabéns por teres escolhido seguir estudos na Covilhã! Segundo, este artigo é todo ele para ti. Pelo segundo ano consecutivo, o Espalha Factos elaborou um roteiro com os locais de visita obrigatória. Seja para comer, para beber ou para visitar, este é o artigo que não deves de forma alguma deixar de lado.

  • Visita…

Jardim do Lago

Uma partida de futebol ao final da tarde. Um passeio de gaivota pelo lago com a tua cara metade. Uma corrida para equilibrar o corpo e a mente. Podes fazer tudo isto no Jardim do Lago, junto à Estação de Camionagem, na zona mais baixa da cidade. O maciço da Serra da Estrela espreita em qualquer recanto do parque pelo que a inspiração para o lazer não será um problema.

 Parque da Floresta

O ar puro é um dos apanágios desta cidade. Afinal de contas, estás no sopé da serra mais alta do continente. Concilia isto com a beleza dos montes à volta da Covilhã e junta-lhe ainda uma dose generosa de atividade física. O resultado é uma ida ao Parque da Floresta. Em direção às Penhas da Saúde, logo à saída da cidade, este parque possui um circuito de manutenção com quatro quilómetros de extensão, intercalados com várias estações para alongamentos. Rodeado de árvores e com a Ribeira da Goldra à espreita, este é também o cenário idílico para umas recordações fotográficas.

O parque da floresta está inserido naquele que é o pulmão da Covilhã.

 Museu de Lanifícios

Certamente irás notar que alguns pólos estão albergados em edifícios muito antigos. A verdade é que as faculdades de Engenharia, Artes e Letras e Ciências Sociais e Humanas funcionam em antigas fábricas de fiação têxtil. A Covilhã foi, em tempos, um baluarte da indústria lanifícia e toda a cidade vivia das dezenas de instalações que existiam. O Museu de Lanifícios, situado no pólo principal é um convite a descobrires um pedaço da história da tua nova cidade, assim como das faculdades por onde andarás.

 Miradouro Nossa Senhora da Conceição

Junto à residência de Santo António, na estrada para a Reitoria, o miradouro de Nossa Senhora da Conceição é paragem obrigatória para apreciares uma panorâmica da cidade da Covilhã. A estátua, erguida no início do século XX, ostenta a figura da Virgem Santíssima que protege a cidade, os seus habitantes, e recebe anualmente a cerimónia singular da Benção das Pastas. Os jardins do miradouro convidam a uns bons minutos de descanso, de reflexão e, claro, de regozijo por tamanha beleza envolvente e sossego que o local oferece e transmite.

Elevador das Escadinhas de Santo André

Nunca é demais dizê-lo: A Covilhã é um autêntico teste à tua condição física. Felizmente a mobilidade na cidade neve está cada vez melhor e o Funicular de Santo André é talvez o melhor exemplo. Ligando a Rua Marquês de Ávila e Bolama ao Mercado Municipal, diariamente entre as 9 e as 21 horas, ainda tens direito a uma das melhores vistas para os pólos de ciências e de letras da UBI. Se a adrenalina faz parte do teu dicionário, podes sempre optar pela escadaria ao lado do elevador. São “apenas” 162 degraus, sem patamares, capazes de deixar qualquer um sem fôlego.

A mobilidade melhorou e muito nos últimos anos na cidade, o Elevador de Santo André é disso exemplo.

Capela de Nossa Senhora do Calvário

Na noite da Serenata, todos caminhos vão dar à capela mais alta da cidade, junto à Saudade. O caminho até lá é sinuoso, mas nada que não se faça. Datada do século XV, de arquitetura ao estilo Gótico, a Capela de Nossa Senhora do Calvário possui como característica pouco comum uma espécie de alpendre que, duas vezes por ano, se transforma em palco para receber as tunas académicas da UBI, num dos eventos mais marcantes da tua vida académica.

Miradouro das Portas do Sol

Depois de um dia intenso de aulas vais sentir falta de um pouco de descontração. O Miradouro das Portas do Sol, na Rua António Augusto de Aguiar, é um dos locais de eleição para confraternizares, beberes umas cervejas – obrigatório a partir da primavera – ou simplesmente apreciares a imponência da cidade encravada no sopé da Serra da Estrela. O espaço possui um relógio cujo funcionamento é talvez o mais preciso do mundo: faz uso do sol para dar as horas. É também nesta varanda que tens a oportunidade de ver o mais belo nascer do sol da região.

 Pelourinho – Praça do Município

O centro da Covilhã. Onde se sente o pulsar de toda uma cidade. Partindo do pólo principal da UBI, sobe a Rua Marquês de Ávila e Bolama até ao cruzamento para a Serra da Estrela. É uma espécie de ponto de encontro e decerto terás muitos nesta praça uma vez que, a partir daqui, são muitos os destinos que ficam a igual distância. No dia da Latada, o trajeto dos cursos termina aqui, imediatamente após serem proferidos os discursos num palco em frente à Câmara Municipal.

1

Praça do Município, Pelourinho ou simplesmente… o centro da cidade.

Jardim Público

O primeiro jardim da cidade da Covilhã e, de longe, o mais emblemático. Chegar lá é muito fácil: Atravessando a Rua Direita viras para a Avenida Frei Heitor Pinto. Certamente passarás por lá nos teus primeiros dias pois é muito frequente, por aí, a praxe, principalmente junto ao repuxo. Parte do espaço possui um miradouro com vista para a parte norte da cidade. À noite, a proximidade com vários espaços de diversão, fazem do Jardim Público um lugar com passagem obrigatória.

Ponte da Ribeira da Carpinteira

Se a fotografia é um dos teus hobbies, a Ponte da Ribeira da Carpinteira tem de fazer parte do teu portfólio. Construída para facilitar o acesso do bairro dos Penedos Altos ao centro da cidade, é a sua arquitetura que se destaca de tantas outras obras de arte. Rodeada por grandes elevações e com um curso de água revolto a 52 metros de altura do tabuleiro, a envolvente da ponte é de uma imponência difícil de encontrar noutra cidade.

5887646783_2cd31b9fb5_b

Mais uma obra para melhorar as acessibilidades, a Ponte da Carpinteira destaca-se pela sua própria beleza.

  • Saboreia…

 Art Barô

Outra etapa da diversão noturna passa naturalmente pelo Art Barô. Tal como o nome indica, é um bar que possui também uma pista de dança e música a condizer. À excepção da época da Receção ao Caloiro e da Semana Académica, é um bar que está sempre composto. Situado na Rua Direita, junto ao centro da cidade, o Art Barô destaca-se por fazer a ponte entre o bar e a discoteca.

Café Jardim

Outro espaço bastante agradável é o Café Jardim, localizado no edifício do hotel com o mesmo nome. O ambiente calmo e descontraído não só da esplanada, durante o dia, como também da sala ampla, mais popular à noite, fazem deste um sítio a visitar para se pôr a conversa em dia.

Cantinho do Artista

O local é discreto. O espaço bastante acanhado. Tudo isto faz com que, nas noites de inverno, seja um sítio bastante acolhedor. Aqui o destaque vai para o Fado. São vários os artistas da cidade, estudantes ou não, que fazem ecoar o choro da guitarra portuguesa por entre o Cantinho do Artista. Acompanha o momento com uma chouriça assada no pão e um copo de vinho e desfruta da vida boémia que a Covilhã oferece.

Comfusão

É dia de derby. Os maiores clubes nacionais vão-se defrontar e não há nada melhor do que ver o jogo num bar com os teus amigos. O Comfusão é o bar por excelência para uma patuscada durante uma partida de futebol. À noite é o ponto de partida para a diversão noctívaga. É altamente aconselhável chegares antes da meia noite porque o espaço é pequeno e não há muitos mais do género na Covilhã.

Companhia Club

A discoteca da Covilhã. Considerada uma das melhores do país e a mais badalada no interior, as duas pistas de dança e uma área mais sossegada com sofás e puffs fazem da Companhia o derradeiro spot para terminares em grande a tua noite. Até ao final das praxes serão frequentes os desfiles de Mister e Miss Caloiro pelo que a probabilidade de lá entrares daqui a uns dias é muito alta.

Covidoce

Se não te apetece ir almoçar a nenhuma das quatro cantinas da UBI, há alguns sítios na cidade bastante apetecíveis e com descontos para estudantes. É o caso da Pastelaria Covidoce. Situada no Centro Comercial Sporting Clube da Covilhã, são as pizzas de tamanho familiar que muito contribuem para o bom nome desta casa. O menu estudante fica-te por cerca de 6 euros e vem com uma bebida de litro incluída.

Merendola

Muitos dos teus jantares de praxe e, mais tarde, de curso passarão invariavelmente por aqui. É um dos melhores espaços do género na Covilhã. O atendimento excepcional, o preço acessível e a qualidade das refeições tornam o Merendola uma instituição por entre o público jovem da cidade. Fica na Avenida Frei Heitor Pinto, em direcção ao Pólo IV. O preço médio do jantar, com tudo incluído, fica em 8,50 euros.

Pizzaria Ideal

A pizza é uma das refeições mais acessíveis que podes comer fora de casa e, não raras as vezes, abre a possibilidade de experimentares alguns produtos que a serra tem para oferecer, como o queijo ou o presunto. A Pizzaria Ideal, no Canhoso, junta na perfeição o útil ao agradável, conciliando a cozinha italiana com alguns ingredientes da região. Se não tiveres transporte próprio, as entregas ao domicílio resolvem o problema.

Quiosque 2

A zona baixa da cidade também oferece várias propostas a nível de esplanadas. O nosso destaque vai para o Quiosque 2, no cimo do Jardim do Lago. A escolha não é inocente: trata-se de um local com uma decoração moderna mas que se faz valer sobretudo pela esplanada debruçada sobre o parque.

Real Fábrica

As propostas para tomar café não faltam nesta cidade. No Rato, perto do Pólo I, encontras o Real Fábrica. Situado junto à Ribeira da Goldra, este é um espaço intimista mas bastante versatil conforme o dia da semana. Karaoke, espetáculos ao vivo ou mesmo sessões de leitura são uma presença assídua neste café.