A rubrica A Recordar, iniciada em 2012, está de volta ao Espalha-Factos. Vamos voltar a relembrar atores e atrizes que tenham marcado a sua época, mas que caíram em esquecimento ou não foram suficientemente reconhecidos. Percorreremos atores de diversas décadas, até à atualidade. Falaremos da sua vida, carreira, papéis mais icónicos e do legado que deixaram. Esta semana é a vez de Paul Giamatti.

O nome não engana. De descendência italiana, inglesa, irlandesa e escocesa, Paul Edward Valentine Giamatti nasceu no ano de 1967 e tem mais de vinte anos de carreira no cinema. Estudou Inglês na Universidade de Yale e formou-se em Belas Artes na Escola de Teatro da Universidade de Yale. Até agora já passou por palcos do teatro, por ecrãs de cinema e pela Broadway.

No cinema, depois de participar em filmes como Donnie Brasco (1997), The Truman Show – A Vida em Directo (1998) e O Resgate do Soldado Ryan (1998), Paul Giamatti juntou-se ao elenco de O Agente Disfarçado (2000). De um clássico do drama bélico a um clássico de comédia, Paul Giamatti entrega-se à comédia ao lado de Martin Lawrence, no papel de um inspetor do FBI.

big momma 2000

Em 2004, interpreta o que muitos consideram o papel da sua vida. Sideways conta a história de dois homens de meia idade que partem numa aventura em tempo de pré-casamento de um deles. A personagem principal, Miles (Paul Giamatti), é um amante de vinhos que acompanha o amigo Jack (Thomas Haden Church) na sua despedida de solteiro. O que para Jack  serve para conhecer uma mulher que não a sua futura, para Miles, um escritor depressivo e divorciado,  leva-o a conhecer também uma mulher mas por quem se apaixona de verdade, e que lhe trás de novo a felicidade que os azares do passado lhe roubaram. Paul Giamatti entrega-se à sua personagem de tal forma que a linha que os separa quase se desvanece, dando a entender que são a mesma pessoa.

SIDEWAYS

Seis anos depois, volta a protagonizar uma comédia romântica –A Minha Versão do Amor-, no papel de Barney Panofsky, um homem de 65 anos, só e infeliz, cuja história gira à volta dos seus três (ex-) casamentos. Além do filme que foi bastante galardoado, também o próprio Giamatti foi nomeado e vencedor do Globo de Ouro para Best Performance by an Actor in a Motion Picture – Comedy or Musical.

PG golden globe portrait

Seguem-se outros registos, e mais dois em destaque. Cinderella Man (2005) e O Ilusionista (2006). Neste último, Paul Giamatti evolui de um detetive corrupto e pouco amigável para um detetive justo e que se deixa levar pelo espetáculo de ilusão de Eisenheim (Edward Norton), o próprio ilusionista por quem acaba por nutrir uma grande amizade e admiração. Uma boa história que apesar de não primar pela qualidade da realização é bem acompanhada pelo desempenho de Giamatti.

O Ilusionista

Mais recentemente as suas colaborações têm evoluído para algo mais notável, tanto no desempenho, como na relevância do filme e da personagem: O Último Reduto, Nos Idos de Março (2011) e  Ao Encontro de Mr. Banks (2013).

Na televisão, destaque para uma mini série que protagonizou em 2008 – John Adams, uma série sobre o segundo presidente dos E.U.A – que lhe valou mais um Globo de Ouro.

PG golden globe

Outras participações em séries televisivas: 30 Rock e Downton Abbey.

30 rock

30 Rock

downton abbey

 

Downton Abbey

A sua agenda aponta para a futura participação em duas curtas metragens e três longas, entre elas, a interpretação da voz do professor em O Principezinho e Jerry Heller em Straight Outta Compton, ambos com data marcada para 2015.

Um ator que passou por diferentes registos, um dos típicos casos em que “eu vi e gostei, mas onde?”, um dos atores que integra quase todas as listas dos mais desvalorizados em Hollywood. Da comédia ao drama, Paul Giamatti mostra ter muito para dar em papéis que sejam mais do que apenas secundários.