O entretenimento puro – desta vez com efeitos especiais para lá da perfeição – regressou ao cinema bem ao jeito thriller de grandes catástrofes… cinematográficas, pelo menos ao nível do argumento que em nada surpreende. Dentro da Tempestade chegou na passada quinta-feira aos cinemas.

O filme gira, ironicamente, à volta de um tornado. De um lado a população indefesa que foge do tornado – o maior jamais visto, claro – enquanto que do outro lado uma equipa de caça-tornados avançar em direção ao olho do mesmo. O enredo reparte-se entre o diretor da escola com problemas familiares com os seus dois filhos, a equipa disfuncional que percorre os EUA à procura dos tornados (correndo riscos inigualáveis) e dois youtubers que dão, literalmente, a vida pela fama que os vídeos perigosos que realizam lhe dão. A ação desenrola-se na até então pacata Silverton (Colorado) que dá a paisagem ideal para os efeitos especiais que Steven Quale tão bem soube utilizar.

O realizador gravou Dentro da Tempestade ao estilo de um reality-show onde somos conduzidos pelos próprios intervenientes, neste caso as várias personagens que se cruzam no ecrã, seja em fuga do tornado ou à procura deste. É através do olho das personagens, neste caso os smartphones ou câmaras que carregam consigo, que absorvemos a atmosfera catastrófica de Dentro da Tempestade. No entanto, este pormenor não nos priva de ver efeitos especiais que desafiam os filmes deste estilo anteriormente realizados.

Dentro da Tempestade

Os efeitos especiais são, sem margem para dúvidas, tal como já se percebeu, o melhor deste filme. Dentro da Tempestade dá-nos aviões a serem sugados pela força de um tornado – ou vários até, às vezes – que nos deixam boquiabertos com a sua grandiosidade transcrita no ecrã ao pormenor. Até quando estamos verdadeiramente no olho do tornado, onde os ânimos ironicamente acalmam, vemos como aquela calma nos transmite ao mesmo tempo a imensidão da força que ali concentra. Porém, também há casas, carros e muito mais a ser arrastado cidade fora; e, claro, os momentos-chave aparecem no momento em que vidas estão em vias de serem arrastadas, ou quando isso efetivamente se confirma.

O argumento, o guião, as personagens e toda a carga emocional (interpretações dos atores a léguas do aceitável) peca pela superficialidade, em contraste com a profundidade que a filmagem à la reality-show nos oferece. Esta opção de Steven Quale é de aplaudir: usou-a eficazmente e só quando dela precisou, não retirando a emoção de grandes planos – quando necessário – ao público. Houve ainda a tentativa de incutir um certo humor (negro, diria eu) ao filme, mas tal acaba também por diluir-se. Só no final é que acertam e, diríamos, não podia ter terminado melhor.

Dentro da Tempestade

Dentro da Tempestade vem, outra vez, retratar a luta entre o Homem e a Natureza. É previsível, dura até nos entusiasmar e chega a ser cansativo assistir aos constantes twists que, contudo, não revelam as potencialidades deste filme. Os efeitos especiais salvam a pátria e salvam também Dentro da Tempestade de ser um filme demasiado mau na categoria de entretenimento puro. Apesar disso, não vai ser um vento forte que levará o público à sala dos cinemas.

6.5/10

Ficha Técnica:

Título: Dentro da Tempestade

Realizador: Steven Quale

Argumento: John Swetnam

Elenco: Richard Armitage, Jeremy Sumpter, Nathan Kress, Matt Walsh, Scott Lawrence.

Género: Thriller, Ação

Duração: 89 minutos