A ausência de certos cantores ou bandas nas rádios e nos meios de comunicação começa a ser notada ao fim de algum tempo, como é o caso dos Maroon 5. Nem a mudança para a Interscope atrasou o lançamento do novo disco, intitulado V, para esta semana. Alcançou logo o primeiro lugar nas tabelas de venda e não é difícil de descobrir, já que todo o álbum lançado em Portugal pela Universal Music é bem equilibrado e idealizado para as rádios.

Bandas como Maroon 5 ou artistas como Rihanna, sem lançaram nada há quase dois anos, são notados pela ausência nas tabelas de vendas. Não pelo talento extraordinário ou pelas músicas com qualidade – Rihanna já provou ao longo dos anos a incapacidade para cantar ao vivo em diversas ocasiões, como no último concerto no MEO Arena, e os Maroon 5 na criatividade para fazer novas músicas – mas pelo sucesso que conseguem no que diz respeito a vendas.

Ao quinto disco e desde 2002, a banda já vendeu quase 30 milhões de álbuns e cerca de 31 milhões de singles a nível mundial. Num momento recheado de informação e de novas bandas e músicas a surgirem a uma alta velocidade, o lugar de destaque já permanece com a banda de Adam Levine – provado pelo topo que alcançaram mal V ficou à venda.

maroon 5 v

O novo álbum começa logo com a fórmula segura de sucesso. Maps, produzido por Benny Blanco e também Ryan Tedder, é a aposta ideal para ser a canção mais ouvida e repetida em todas as rádios com uma letra referente a um amor perdido, em que o protagonista que o quer encontrar novamente. Romântico, identificável pela maioria das pessoas e sem um pingo de profundidade – mas, pensando melhor, será esta última caraterística pretendida em alguma música do universo pop? Segue-se Animals, produzido por Shelback, igualmente formulada para todas as rádios. Música que se ouve num minuto e se esquece no seguinte, com “like animals, animals, like animals” a repetir-se constantemente.

V é elaborado com precisão: quase todos os produtores já colaboraram anteriormente com os Maroon 5 e, por isso, há garantias de sucesso. Adam Levine e a sua banda segue os mesmos passos de algumas grandes estrelas da pop, como Katy Perry. Quando fazia promessas de um disco completamente negro, sucessor de Teenage Dream, elaborou um quase igual, o Prism tão bem sucedido mas atirado abaixo pelos críticos. It’s Always You, um dos singles promocionais, é uma boa paragem de ritmo para todos os que procuram um momento mais melancólico no álbum. São algumas frases marcantes, pela quantidade de vezes repetidas, que ficam no ouvido. “It’s always you”, “unkiss me” ou o refrão de Maps – é essa a chave da pop.

Unkiss Me oferece igualmente um momento melancólico e com qualidade para passar a uma atrevida Sugar, que não cansa. Um dos melhores momentos e que causam alguma surpresa, talvez para o ouvinte desitir, é In Your Pocket. Também produzida por Shelback, é uma boa alternativa para passar nas pistas de danças. São poucos os discos que colocam algumas músicas de qualidade a meio, há sempre lugares ou quantidades estratégicas.

Apesar de bem talhadas New Love e Coming Back For You, o melhor está para o fim. Feelings, uma surpresa das boas pelos vocais agudos de Levine, é uma das canções mais “pastilha elástica” do álbum. Pastilha elástica por, liricamente, não dizer quase nada mas ter a capacidade de ficar na cabeça, seja pelos vocais ou seja pela sonoridade ritmada.

Colocar Gwen Stefani, sem qualquer disco a solo há tantos anos no mercado, é uma jogada de mestre. Não fosse um dos ícones no universo pop por êxitos como Rich Girl, Cool ou The Sweet Escape e pelo visual tão bem cuidado constantemente apresentado. Em My Heart Is Open, escrito pela badalada Sia Furler, abrem as cordas vocais e colocam sentimento. E é essa emoção que deixa desejo por mais. Mas um disco com uma fórmula tão aprimorada no passado como é este V não há lugar para sentimentalismo.

Os Maroon 5 regressaram melhor do que nunca, há que ser sincero. Os agudos de Levine, a sonoridade bem ritmada e adequada, por vezes a boas pistas de dança, e a ausência de sentimentalismo vão apaixonar todos os apreciadores de música pop. Não se pode esperar seriedade aos Maroon 5, é pedir demais. Basta colocar o rádio ou o tablet com um bom volume e abanar o corpo, não é necessário mais nada.

E para todos os admirados há boas notícias, já que no próximo ano o disco é apresentado no MEO Arena como podes ler aqui.

Nota final: 7,5/10

Podes ouvir a canção Feelings, uma das melhores surpresas de V: