Mensalmente o Espalha-Factos irá passar a dar destaque um autor. Numa rubrica intitulada ‘Autor do Mês’, serão publicados durante o mês, artigos relacionados com o escritor escolhido.Neste mês debruçamo-nos sobre Lesley Pearse, uma das mais famosas autoras do Reino Unido, cujas obras já renderam mais de 7 milhões de cópias por todo o mundo.

Os primeiros anos de vida de Lesley foram passados num orfanato, após esta ter perdido a mãe e o pai se encontrar em serviço militar. Aos seis anos, o pai e uma nova madrasta acolheram-na – juntamente com o irmão – numa casa em Kent, mudando-se mais tarde para o sul de Londres. Vivendo num ambiente sufocante, sem qualquer amor ou espírito de família, Lesley saiu de casa aos dezasseis anos para se tornar babysitter.

Em 1968, conheceu John, o seu primeiro marido, que a apresentou a estrelas da música como David Bowie e Steve Marriot – os quais vieram a servir de inspiração para a sua primeira obra, Georgia. Após o nascimento da primeira filha, Lucy, Lesley percebeu que John não tinha perfil para pai ou companheiro, entrando então em processo de divórcio.

Lesley Pearse 2

Em Bristol, conheceu um novo homem, do qual teve mais duas filhas, Sammy e Jo. Após abrir uma loja nessa região, Pearse conheceu Darley Anderson, um agente literário, o qual a encorajou a escrever Georgia. Este primeiro livro demorou seis meses a ser escrito mas apenas foi publicado nos anos 90, quando a loja da autora fechou graças à recessão económica.

Actualmente com mais de vinte livros publicados, muita da essência das suas obras provém exactamente da experiência de vida de Lesley Pearse, já que esta presenciou em primeira mão temas como rejeição, adopção, amor não correspondido, deterioramento de famílias, entre outros.

As obras de Pearse, embora sejam considerados romances na sua generalidade, podem inserir-se em temáticas mais alargadas, tais como crime – em Till We Meet Again –, aventura histórica – em Never Look Back – ou paixão comovente – em Trust Me.

Lesley Pearse 3

De facto, com a publicação de Ellie – romance situado na Primeira Guerra Mundial –, Lesley percebeu que grande parte da adrenalina dos seus livros residia em investigar o passado e colocar as personagens em perigos que a própria autora nunca vivenciara. Esta característica obrigou a autora a efectuar uma pesquisa extensa, que incluía visitar museus e arquivos, de modo a relatar as suas histórias com a maior fidelidade histórica possível. Podemos encontrar esta particularidade em várias das suas obras, como por exemplo Remember Me, a qual com a história de Mary Broad, uma mulher enviada como prisioneira para a Austrália em 1786, inserindo-se na primeira comunidade de residentes dessa extensa colónia.

Nas palavras da própria autora: “Era o meu sonho ser uma escrita de sucesso, e ninguém me poderia dissuadir. Acredito sinceramente que a persistência é a chave. Quanto mais escreves, melhor te tornas. Desilusões e rejeições fazem parte da aprendizagem.

Para visitares a sua página oficial, clica aqui.