the_big_bang_theory_covers_sheldon_cooper-t2

Séries. As melhores personagens de 2013-2014 (2)

Em setembro, começa o aguardado regresso das séries que nos acompanham ao longo do ano. Antes disso, e para comemorar o que de melhor se fez na temporada anterior,o Espalha-Factos escolheu uma lista das melhores personagens de 2013/2014. Juntámos os nomes mais sonantes da comédia e do drama, e deixamos ao teu critério: quem roubou todas as atenções no pequeno ecrã?

Clone Club

Tatiana “Camaleão” Maslany é Orphan Black! Na segunda temporada da série, voltou a ser SarahAlisonCosima e (uma já não má da fita) Helena – constituem o que a terceira denomina carinhosamente Clone Club. A atriz canadiana deu ainda corpo à vilã Rachel(apresentada no final da temporada de estreia) e a mais um par de clones com presenças pouco significativas. Pode parecer batota agrupar várias personagens numa só, mas estes camaleões fêmea completam-se com as qualidades específicas de cada uma e com permanente entreajuda. De facto, passaram quase todos os episódios separadas fisicamente e, no entanto, através de meios de comunicação, os seus laços saíram reforçados. A segurança de Kira (filha de Sarah) e a saúde e livre-arbítrio dos clones consolidaram-se como objetivo comum. Para lá de diferenças de visual, Tatiana singulariza cada uma das suas personagens com pronúncias e maneirismos distintos. A série beneficia desses ingredientes para balançar entre o gore, o ambiente abjeto em Helena e o humor, os clichés suburbanos em Alison, por exemplo. Atuações excelentes e personagens idem!

http://youtu.be/XE2u_N8g6cs

Rustin Cohle

Poucos minutos decorridos do episódio piloto de True Detective e torna-se óbvio queRustin Cohle é uma personagem especial. A trajetória da carreira de Matthew McConaughey passou do esquecível para o inesquecível num par de anos e a excelência com que interpreta esta aclamada personagem é disso amostra. Rustin Cohle assemelha-se a uma versão complexificada de um anti-herói do film noir. Pela ambiguidade moral, pelos olhares vagos mas penetrantes, pelo discurso cínico, sombrio e metafórico, pelas perspetivas niilistas, pelo isolamento auto-infligido, pelo alcoolismo, inclusive. Também nós, espectadores, sentimos “o cheiro da psicosfera”, de um ambiente psíquico tóxico e opressivo. Rustin trá-lo consigo mais que qualquer outro, captando a nossa atenção pela sua mera presença pessimista – é um descendente ficcional de Arthur Schopenhauer.

http://youtu.be/A8x73UW8Hjk

Red Reddington

Sendo a cereja no topo do bolo de The BlacklistJames Spader como Red Reddington é a combinação perfeita entre o misterioso espião, o eficiente assassino e o carinhoso guardião. Rodeado de um talentoso elenco, Spader destaca-se pela capacidade de atrair para si todas as atenções em cada cena que participa, deixando bem explícito que este mundo a representação não lhe é novidade. Embora seja aquela personagem que é pintada como um vilão, somos levados a acreditar que ele é simplesmente aquele tipo de pessoa que, no fundo, fará tudo para se defender a si e àqueles de quem gosta.

http://youtu.be/831vt0Q8wNo

Donna Paulsen

Fechem os olhos e pensem na vossa mulher de sonhos, uma que combine sensualidade com personalidade e, mais importante que tudo isso, com um humor irónico excelente. Agora abram os olhos, vejam Suits e descobram Donna Paulsen, o santo gral das secretárias de escritório.O que nos chama a atenção em Donna, interpretada de forma genial por Sarah Rafferty, é o domínio completo que esta tem dentro da firma de advogados Pearson Specter; ela sabe dizer a informação certa à pessoa certa, sempre da melhor forma e no melhor momento! Dentro do ringue de leões que é a luta de poder em Suits, esta secretária consegue ser o fator mais importante. Quantas vezes foi o conselho de Donna que pôs fim a conflito x ou a chatice y? Se ela fala, Harvey ouve, Mike respeita eLouis esconde-se, é tão simples quanto isso!

É certo que são as caras de dois homens que promovem a série, mas não se enganem, atrás desses grandes homens está uma mulher ainda maior.

http://youtu.be/WbYxc9LC9tE

Sheldon Cooper

No que toca a comédia, Sheldon Cooper é a personagem em que todas as outras se devem inspirar. Com pouca ou nenhuma habilidade para se comportar e entender situações sociais do quotidiano, Sheldon é tão estranho que já nem o tentamos perceber, apenas o aceitamos dessa forma e tentamos acompanhar a sua evolução. Afinal, a personagem de Jim Parsons já percorreu um longo caminho desde que o conhecemos em 2007, sete temporadas atrás. Durante os episódios mais recentes vimos Sheldon a não poder realizar o seu trabalho científico na universidade (talvez aquilo com que ele mais se preocupa) e a força que este teve para simplesmente se separar dos seus amigos e viajar, na esperança de encontrar inspiração para um novo capítulo do seu futuro. Até na sua relação com Amy, que se vai desenvolvendo a passo de caracol, vimos avanços consideráveis, incluindo o primeiro beijo do casal.

Podemos ainda não saber como estará Sheldon quando o voltarmos a ver na oitava temporada de The Big Bang Theory mas, depois de sete anos a acompanhar este crescimento, é impossível não o considerarmos uma das personagens mais adoradas da televisão atual.

http://youtu.be/zva3SRxQCv0

Oberyn Martell

Se há algo de que precisamos em Game of Thrones são heróis! Pessoas traiçoeiras, mentirosas e malvadas já temos aos montes e, embora sejam elas a dar o ambiente tão sombrio que adoramos na série, é  obrigatório termos alguém por quem torcer. Honestamente, Daenerys Targaryen, Jon Snow e Tyrion Lannister já começavam a ser escolhas demasiado óbvias para salvadores dos indefesos portanto, ao apresentaremOberyn Martell duma forma tão direta e eficaz, tornámo-lo de bom grado no novo preferido dos espetadores.

Claro que Oberyn, interpretado por Pedro Pascal, vinha com uma missão pessoal, vem diferente da proteção dos inocentes: vingar a morte da sua irmão e sobrinhos pelas mãos do Montanha, assassino de eleição dos Lannisters. Mesmo só tendo aparecido na quarta temporada da série, e sem conseguir chegar até ao fim da mesma, o príncipe de Dorneconseguiu conquistar uma enorme legião de fãs, graças à sua atitude aventureira, personalidade comicamente provocante e, sejamos diretos, ao seu ódio pela família deJoffrey.

Foi das personagens que mais marcou os eventos atuais de Game of Thrones e, mesmo já tendo terminado a sua participação, teve a saída mais falada dos últimos anos!

http://youtu.be/bV3fzGAvnbw

Artigo de Cátia Duarte Silva, Fran Silveira e João Pedro Peixoto.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Pedro Pinto TVI BTV
Pedro Pinto abandona TVI para rumar à BTV