After Dark

After Dark: ver um museu através dos olhos de um robot

Todos os anos o museu Tate Britain escolhe um projeto para promover a cultura através das novas tecnologias. Este ano o escolhido foi After Dark, que propõe uma nova forma de ligar o museu ao resto do mundo.

O estúdio de design The Workers criou a After Dark, uma recriação da experiência de estar sozinho à noite numa galeria de arte, através da tecnologia digital. Com este projeto, Tommaso Lanza, Ross Cairns e David Di Duca ganharam a primeira edição do IK Prize, que distingue a criatividade digital. Para além de um prémio de 10 mil libras (12.530 euros) e de 60 mil libras (75.175 euros) canalizadas em orçamento para desenvolverem o projeto, tiveram também a oportunidade de expor o seu trabalho no museu Tate Britain.

Através desta oportunidade, qualquer pessoa, de qualquer parte do mundo, poderá aceder ao site e visitar online as galerias da Tate, à noite, através de quatro robôs equipados com câmaras. Durante cinco noites – de 13 a 17 de agosto – entre as 22h00 e as 03h00, quatro robots vão vaguear pelas galerias através do controlo de internautas de qualquer parte do mundo.

Através desta página web, os visitantes podem também visualizar o percurso escolhido por outros utilizadores e reconhecer os níveis de proximidade relativamente às obras de arte. Os responsáveis pelo projeto garantem que a experiência, apesar de transmitida através da Internet, é feita quase em tempo real e que para aderir a esta experiência basta fazer o registo e ter alguma sorte.