O Mosteiro da Batalha é o palco da mais recente produção da Kind of Black Box. Baseado num texto inacabado de António Patrício, a peça inspira-se numa antiga lenda portuguesa que é agora levada a cena entre os dias 14 e 17 de agosto. O elenco conta com nomes sonantes como Fernando Luís e Ana Bustorff.

Reza a lenda que a abóbada da casa do capítulo havia sido levantada por três vezes e, nas duas primeiras, caíra e provocara muitas mortes. Assim, à terceira vez, Mestre Afonso Domingues, o primeiro arquiteto do Mosteiro da Batalha, fez o voto de jejuar durante três dias e três noites sob a abóbada para provar que a mesma não voltaria a cair. Mestre Afonso Domingues acaba por falecer de fraqueza e velhice mas antes profere a célebre frase: “A abóbada não caiu, a abóbada não cairá!”.

Inspirado pela lenda, contada por Alexandre Herculano em A Abóbada, o dramaturgo António Patrício inicia o texto dramático A Paixão de Mestre Afonso Domingues, em 1929. Contudo, António Patrício acaba por morrer sem concluir o texto, que é agora recuperado por Tobias Monteiro, autor e encenador de A Abóbada Não Caiu, A Abóbada Não Cairá!.

Esta é a mais recente peça produzida pela Kind of Black Box, apresentando Fernando Luís no papel de Mestre Afonso Domingues e Ana Bustorff enquanto Violante. O elenco é ainda constituído por Inês Nogueira, João Bandeira, João Craveiro, Margarida Gonçalves e Paulo Duarte Ribeiro, assim como, Bárbara Soares, Frédéric da Cruz, Hugo Inácio, Rita Soares e Sofia Neves, da Leirena. Há ainda espaço para dois nomes internacionais: Ciro Cesarano e Fábio Gorgolini, do Teatro Pícaro.

A Abóbada Não Caiu, A Abóbada Não Cairá! poderá ser vista nos dias 14, 15, 16 e 17 de agosto no Mosteiro da Batalha.

unnamed