A Guerreira despediu-se dos portugueses ontem, dia 8, na liderança absoluta, mas sem recorde de audiência. A última novela da SIC até começou mais cedo do que nos últimos dias (perto das 00h), mas não foi além dos 8.9 pontos de audiência e 34,2% de share, longe do recorde alcançado a 24 de julho, quando a novela chegou aos 9.4 pontos de audiência – perto de 900 mil espetadores.

Ainda assim, A Guerreira chegou e sobrou para a concorrência, tendo descido bastante os valores de Mulheres, da TVI, quando começou a ser exibida. O facto de ter começado a ser transmitida mais tarde nas últimas duas semanas, devido à estreia de O Rebu, e ser sexta-feira (dia de habitual menor consumo no horário nobre da SIC) poderão ajudar a explicar o resultado da novela, que ficou abaixo do seu penúltimo episódio.

A Guerreira estreou na SIC no final de setembro de 2013, adaptando o nome do original Salve Jorge. A novela da Globo nem sempre venceu largamente a concorrência, mas teve resultados bastante regulares e foi muito melhor sucedida do que a sua transmissão original no Brasil em que, à data, foi a novela das 9 com pior média do canal (valor já ultrapassado entretanto por Em Família, actualmente em exibição nas tardes da SIC). Ao longo de quase um ano de exibição, A Guerreira combateu com vários produtos da TVI: o Extra de Secret Story e Secret Story – Desafio Final 2, Destinos Cruzados, O Bairro, Giras e Falidas, O Tempo Entre Costuras, Mulheres e várias séries estrangeiras. Foi, durante grande parte dos meses, uma “bomba de share” para o canal de Carnaxide, mesmo durante o Mundial de Futebol.

O final da novela não teve repercussão na média da SIC, com todo o horário nobre a perder para a TVI. Só com as últimas emoções de Morena e companhia é que a liderança mudou de mãos.