castelo

Pelos Caminhos de Portugal: Guimarães

O Espalha-Factos resolveu fazer-se à estrada por forma a dar-te a conhecer algumas das localidades mais belas de Portugal aparte das metrópoles Lisboa e Porto. Nesta semana apresentamos-te um olhar aprofundado sobre o ‘Berço de Portugal’ e ex-Capital Europeia da Cultura: Guimarães.

Aqui nasceu Portugal! O orgulho vimaranense é visível em muitas janelas onde as bandeiras penduradas já fazem parte da mobília. Não há cidade como esta. Posso não ser de Guimarães, mas é como se fosse. Não me lembro de em pequena não passar lá um fim-de-semana; graças ao meu avô conheço cada rua e cada recanto de Guimarães como se ali tivesse vivido.

Guimarães é o berço de Portugal e, sem querer ser má, sinto vergonha se nunca tiveram curiosidade de visitar esta cidade. É ponto obrigatório de passagem e garanto que vão ficar fascinados com esta cidade cheia de história e tradição que conserva o antigo, mas que permite que o novo nasça em harmonia com o que já existe. O passado e o presente coexistem em Guimarães numa sintonia perfeita, havendo espaço e lugares distintos para cada época.

O castelo de Guimarães encontra-se numa pequena encosta por cima do campo da Mumadona. Este castelo que remonta aos tempos de D.Afonso Henriques tornou-se numa das maravilhas de Portugal e está aberto a todos os queiram visitá-lo. Um pouco mais abaixo encontramos o Paço dos Duques. Este palácio foi construído no séc XV mas sofreu uma polémica renovação durante a época do Estado Novo. Todo o palácio pode e deve ser visitado, uma vez que se encontra num estado perfeito de conservação funcionando como museu.

paço dos duques
Paço dos Duques de Bragança

À medida que se vai descendo em direção ao centro, pelas ruelas e caminhos que lembram a época medieval, é fácil começarmos a apaixonar-nos por esta cidade. Sem dúvida que é bonita e o brio e o cuidado com que as ruas e os edifícios se apresentam fascinam qualquer um. Na praça Santiago são muitas as esplanadas e apesar do encanto que tem durante o dia, à noite é o local ideal para beber uns copos e passar um bom bocado com os amigos, sendo que quem vive nessa zona já entranhou o barulho e a confusão da noite. Passando as arcadas das típicas casas vamos encontrar o largo da Oliveira. Mais cafés e movimento mesmo à porta da Igreja que dá nome a esta praça. Ao lado da igreja, o antigo convento de freiras é agora o Museu Alberto Sampaio que possui uma valiosa coleção de arte antiga, dos séculos XIV, XV, e XVI.

Largo da Oliveira
Largo da Oliveira

Quem passeia pelas ruas de Guimarães vai reconhecer que toda a cidade está empenhada na preservação do seu património. As antigas paredes da muralha ainda estão bem conservadas e fazem parte da cidade. O centro histórico de Guimarães é dos mais bonitos que conheço e por mais que por lá passe há sempre um ou outro detalhe que me consegue encantar ainda mais. A praça do Toural foi recentemente renovada aquando da Capital Europeia da Cultura. Sinceramente tenho saudades da antiga, faz falta a fonte grande, a sombra das árvores e as pessoas. Agora é uma grande praça deserta onde nem as pombas param, contrariamente ao que acontecia há uns anos em que a praça estava sempre cheia e encontrar um banco para descansar era quase impossível.

Praça do Toural
Praça do Toural

2012 trouxe a Guimarães uma série de inovações e de novas obras de restauro ou reconstrução. A zona de couros é um exemplo desta requalificação. Antes uma zona degrada, tem-se vindo a tornar um centro cultural onde se organizam concertos, espetáculos e workshops sobre as mais variadas coisas.

Zona de Couros
Zona de Couros

A nível cultural há pelo menos duas salas de espetáculo que saliento e cuja programação é sempre diversificada e muito atrativa. A Plataforma das Artes e da Criatividade é um grande edifício também construído para a Capital Europeia da Cultura que se tem mantido. O Centro Cultural Vila Flor é das salas de espetáculo nortenhas com melhor programação, das quais destaco o GUIDANCE e o GuimarãesJazz. O CCVF além do grande auditório, tem ainda um auditório mais pequeno e um café concerto onde todas as semanas algo acontece. Possui ainda jardins com vista privilegiada sobre a cidade e o palácio.

Centro Cultural Vila Flor
Centro Cultural Vila Flor

Para terminar há ainda mais duas coisas a visitar em Guimarães: o parque da cidade e a serra da Penha. O Parque da Cidade de Guimarães é uma grande mancha verde da cidade, sempre bem cuidado e com imenso movimento. De crianças a brincar, a reformados a fazer ginástica passando pelos jovens namorados há sempre quem lá esteja, seja inverno ou verão. Por fim a Serra da Penha, um pouco afastada da cidade de Guimarães tem um vista muito bonita de onde se pode ver o por do sol. Há percursos e rotas a seguir até ao topo da serra, sendo uma forma de praticar desporto enquanto se conhece mais.

Parque da Cidade
Parque da Cidade

Guimarães é para mim das cidades mais bonitas que conheço. Não é uma típica cidade turística apesar de toda a sua história e beleza. A cidade é como é porque os seus habitantes assim o querem e há de continuar a ser sempre. Quem aqui nasceu orgulha-se da sua terra, da sua gente e dos seus costumes: mais do que amor à pátria, um vimaranense ama a sua cidade e ai de quem se atrever a criticá-la!

Mais Artigos
Opinião. Israel-Palestina: já podemos falar dos crimes de guerra?