Guardiões da Galáxia, a aventura espacial que continua a phase 2 do Universo Cinemático da Marvel, apresenta-nos um leque de personagens carismáticos e uma dose de humor genuína durante 121 minutos. O Espalha-Factos foi ver a nova adaptação da Marvel e conta como foi. 

Vinte e seis anos depois de ter sido raptado por uma elite de saqueadores extra-terrestres, Peter Quill torna-se o alvo principal de Ronan – uma entidade que pretende dizimar a civilização Xandar – depois de roubar um artefacto misterioso. Por força do destino, Quill acaba por se cruzar com quatro figuras: Rocket, um guaxinim geneticamente modificado, Grootum ser semelhante a uma árvore, a assassina profissional Gamora e o vingativo Drax, o Destruidor.

Quando Guardiões da Galáxia foi anunciado, muita gente franziu o nariz. Adaptar a história de Peter Quill para o grande ecrã era um risco enorme porque não é um herói tão conhecido como Capitão América ou Thor. Meses depois, percebemos como é que a Marvel conseguiu tornar estes personagens desconhecidos num dos melhores blockbusters dos últimos anos.

Num mercado saturado de filmes sobre super-heróis, James Gunn decidiu optar por um estilo diferente do que estamos habituados. O tom sério e dramático introduzido por Nolan na trilogia Batman e que tem sido ponto de referência para adaptações de banda desenhada para o cinema, acaba por dar lugar a um festival de entretenimento que mistura três estilos distintos – ficção científica, aventura e comédia – que aproveita ao máximo o potencial do set em que está inserido. É uma aposta arriscada mas que acaba por tornar Guardiões da Galáxia num dos filmes mais genuínos da Marvel até à data.

James Gunn não se preocupa apenas em criar cenas de acção frenética (carregadas com CGI) e aposta também na exploração directa de cada uma das personagens, colocando-as em situações interessantes e cómicas., o que confere uma lufada de ar fresco num filme deste género. Quando não estamos a ver cenas de acção que envolvem naves espaciais (e que nos fazem ter saudades de Star Wars), estamos a rir às gargalhadas devido às punch lines inteligentes dos personagens. No meio de tudo isto, há ainda espaço para momentos inesperados e várias referências sobre a cultura pop, incluindo uma homenagem ao clássico Footloose.

Guardiões da Galáxia - Elenco

O realizador apresenta-nos um leque de personagens teimosas, orgulhosas e emocionais que se juntam para combater o mesmo propósito – o vilão Ronan.

Chris Pratt – que promete ser uma das próximas apostas de Hollywood – dá carisma, humor e drama a Peter Quill. Pratt é uma surpresa agradável e genuína e é claramente a grande estrela deste filme. Transforma as acções do personagem em actos completamente imprevisíveis e hilariantes. Para além de Peter Quill, temos também Gamora, uma assassina interpretada por Zoe Zaldana, que não apresenta uma grande backstory mas mesmo assim consegue ser interessante. Dave Bautista prova que não é um erro de casting e apresenta-nos os momentos mais engraçados do filme. Para concluir a equipa, temos dois personagens criados digitalmente – Rocket e Groot. O primeiro, interpretado por Bradley Cooper, é um dos melhores personagens já vistos no universo cinemático da Marvel e quase nos faz esquecer que é um guaxinim feito a computador e não um actor de carne e osso. O seu fiel companheiro, Groot (Vin Diesel) conquista a audiência com um estilo goofy e amigável.

Contudo, o vilão interpretado por Lee Pace peca por ser o mesmo tipo de mau da fita a que estamos habituados a ver no cinema e não foi tão bem explorado como os heróis. A única característica presente em Guardiões da Galáxia, que é idêntica aos filmes anteriores dos estúdios Marvel, é o facto de existir um artefacto que os personagens desejam (por motivos diferentes) e Ronan acaba por ser arrastado para este plot device, constituindo a parte mais fraca do enredo.

Peter Quill - Guardiões da Galáxia

O filme descreve-se em duas palavras: boa disposição. Guardiões da Galáxia utiliza uma palete de cores vibrantes, as personagens têm momentos geniais (e ridículos) e a banda sonora é simplesmente genial – com especial destaque para a utilização de hits de The Runaways, Blue Swede e ainda ainda do carismático David Bowie.

Guardiões da Galáxia é, sem dúvida, o melhor filme da Marvel até hoje. O estilo peculiar e o fantástico leque de personagens deixam o espectador completamente preso ao ecrã desde os créditos iniciais. Mais que recomendado.

8,5/10

Ficha Técnica:

Título Original: Guardians of the Galaxy

Realizador: James Gunn

Argumento: James Gunn, Nicole Perlman

Elenco:  Chris PrattZoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Lee Pace

Duração: 121 minutos

Género: Acção, Aventura, Ficção Científica

*Por opção do autor, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945