O romance inacabado Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas, de José Saramago, será publicado em outubro, segundo adiantou a revista oficial da Fundação José SaramagoBlimunda #26.

Meses antes de morrer, o escritor foi já preparando este romance, deixando algumas notas sobre o desenrolar da história. Ricardo Viel, da Fundação José Saramago diz que “o pouco que temos é o núcleo, é algo de muito concreto”.

De acordo com o que foi escrito na referida revista, por Pilar del Río, presidenta da Fundação José Saramago, a publicação desta obra vem no sentido de ser “mais uma forma de repúdio à violência”, finalidade esta que foi percebida através do pouco que pelo escritor foi deixado.

Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas é um verso do poeta Gil Vicente que foi aqui retirado para constituir o título de uma obra cujo protagonista é um funcionário de uma fábrica de armas que vive um conflito moral despertado no realizar do seu trabalho. Sobre o funcionário, Pilar diz que este “descobrirá, pela força das circunstâncias, que a sua laboriosidade permite que uma engrenagem odiosa continue em movimento e a marcar os mapas e as dominações”.

A publicação resulta do trabalho conjunto de várias editoras de José Saramago na Europa e na América do Sul e terá versões em português, espanhol, catalão e italiano.