cillian-murphy

A Recordar – Cillian Murphy

A rubrica A Recordar, iniciada em 2012, está de volta ao Espalha-Factos. Vamos voltar a relembrar atores e atrizes que tenham marcado a sua época, mas que caíram em esquecimento ou não foram suficientemente reconhecidos. Percorreremos atores de diversas décadas, até à atualidade. Falaremos da sua vida, carreira, papéis mais icónicos e do legado que deixaram. Esta semana o Espalha-Factos escolheu Cillian Murphy.

O discreto Cillian Murphy que dispensa ser o centro das atenções, afastado dos holofotes e das polémicas, tem participações notáveis em papéis de vilão. Apesar de já ter participado em vários projetos cinematográficos, Cillian Murphy ainda tem muito para dar e por isso merece ser recordado.

Ator de cinema e teatro, nascido a 25 de Maio de 1976, Cillian Murphy nasceu e foi criado em Cork, na Irlanda, pela família com ligações ao cinema e à música. O talento surgiu cedo e aos dez anos começou a escrever música e a tocar. Poucos anos depois, estreou-se nos palcos como ator. Foi pela escola, na Companhia de Teatro de Corcadorca, e pelos resultados foi aconselhado pelo professor de inglês – o escritor William Wall – a apostar na carreira de ator. No entanto, o sonho de Cillian era estar em palco mas como “rock star”.

Durante a adolescência, juntamente com o seu irmão, fez parte de uma banda chamada The Sons of Mr. Greengenes. Nos anos 90, uma editora ofereceu-lhes um acordo para a gravação de cinco álbuns, que eles recusaram por, entre outras razões, não quererem que a sua música se desviasse do seu estilo próprio.

Em 1996 começou a estudar direito na Universidade de Cork. Sentindo que não se adequava a si, desistiu, apostando na carreira de ator. Começou a fazer pequenas participações em filmes independentes, maioritariamente irlandeses, e em 2001 protagonizou Disco Pigs ao lado de Elaine Cassidy. Este foi o ponto de partida para os papéis que se seguiriam.

Em 2002 volta a estar à frente de um elenco em 28 Dias Depois, o filme de Danny Boyle sobre o pós-apocalipse e os seus poucos sobreviventes. Já a dar um cheirinho do seu talento no grande ecrã, esta interpretação trouxe-lhe algumas nomeações a prémios, nomeadamente para Best Newcomer nos 8th Empire Awards e Breakthrough Male Performance nos MTV Movie Awards de 2004. O sucesso da película e da performance de Cillian na América e no Mundo foi a primeira grande marca na sua carreira e o seu lançamento oficial.

Vemos Cillian como Jim, a acordar de um coma. Assim começa a sua jornada num mundo que já não é o mesmo:

http://youtu.be/02qibJJ0OvE

Ao lado de Colin Farrell integrou o filme irlandês Intervalo (2003), teve uma pequena participação em Cold Mountain (2003), ao lado de Jude Law, e em Rapariga com Brinco de Pérola, no mesmo ano.

Rapariga com Brinco de Pérola (2003)

 

Cillian Murphy estreia-se como vilão em Batman – O Início (2005) como Scarecrow, o alter-ego do Dr. Jonathan Crane. Apesar de ter feito o casting para a personagem do herói Batman, o seu “olhar angelical que rapidamente se torna sinistro” indicou que se adequaria mais ao papel de mau da fita.

http://youtu.be/8DQGyEs9aoY

O papel de vilão assentou-lhe tão bem que voltou a aterrorizar em Red Eye, ao lado de Rachel Adams. Em 2005, foi o travesti Patrick “Kitten” Braden em Breakfast on Pluto, interpretação que o levou à lista de nomeados dos Globos de Ouro, e em 2006 protagonizou Brisa de Mudança, que lhe trouxe ainda mais nomeações, entre elas, para melhor ator nos British Independent Film Awards.

Cillian Murphy como Patrick “Kitten” Braden em Breakfast on Pluto (2005)

 

Volta a trabalhar com Christopher Nolan em 2010, em A Origem. Entre blockbusters e filmes independentes – Missão Solar (2007), TRON: O Legado (2010), A Recuperação (2011), Broken (2012) -, Cillian sempre optou por se manter afastado dos holofotes, fosse por timidez ou simplicidade. Vegetariano e ateu, a música continua a fazer parte da sua vida. Escreve e toca, mas não tenciona formar novamente uma banda. Com um estilo de vida afastado do trivial hollywoodesco, o ator irlandês admite que o mais extravagante da sua vida é  “o meu sistema de som, comprar música e ir a espetáculos”.

A Origem (2010)

 

Mais recentemente participou em projetos cinematográficos como Transcendence: A Nova Inteligência e Red Lights – Mentes Poderosas, ao lado de Robert de Niro.

Uma presença forte em qualquer papel que interprete, Cillian Murphy revela capacidades para dar muito mais. Seja em filmes de ação ou românticos e dramas, Murphy não deixa ponta soltas no que faz. O reconhecimento é pouco, o talento é muito. Esperemos que se equilibre.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Nazaré não lidera audiências na estreia da segunda temporada
‘Nazaré’ inicia semana a dilatar diferença para ‘Quer o Destino’