Cinema-Ideal-3

Cinema Ideal abre portas a 28 de agosto com Joaquim Pinto

O cinema mais antigo de Lisboa, que já foi Salão Ideal, Cinema Ideal, Cine Camões e Paraíso, regressa a 28 de agosto com a estreia em sala de E agora? Lembra-me, o premiado filme de Joaquim Pinto.No mesmo dia será ainda exibido A Desaparecida de John Ford . A 11 de setembro, mês em que o Cinema Ideal celebra o seu 110º aniversário, estreia o filme Os Maias de João Botelho, que adapta o romance homónimo de Eça de Queirós, na sua versão longa.

O novo espaço cultural, que tem estado em remodelações desde dezembro do ano passado, terá também uma parceria com a Cinemateca exibindo Se eu fosse Ladrão…Roubava de Paulo Rocha. No âmbito da parceria serão também exibidas cópias restauradas de dois filmes do mesmo realizador: Verdes Anos e Mudar de Vida.

Segundo Pedro Borges, da produtora e exibidora Midas Filmes, “O nosso objectivo é mostrar sobretudo cinema português, nomeadamente documentários, e também filmes estrangeiros clássicos”. Afirma ainda que “o país precisa de espaços para mostrar cinema português em condições”, e investe neste projecto, que considera ir “contra a catástrofe a que se está a assistir de desaparecimento dos cinemas de bairro, mas também em alguns centros comerciais”. O produtor lamenta ainda que a Secretaria de Estado da Cultura (SEC) não tenha apoiado de qualquer forma o projeto, “nem sequer com uma palavra de incentivo”. “Depois da divulgação, no ano passado, surgiram muitas pessoas a aplaudir este projecto e a dar apoios, nomeadamente da Câmara Municipal de Lisboa, mas da SEC nada”.

O cinema localizado na Rua do Loreto, com 200 lugares, uma livraria e uma cafetaria prepara-se para estar aberto 14 horas por dia e promete sessões familiares para o fim de semana.