O Teatro Experimental de Cascais estreia Divinas Palavras, a 24 de junho. Contando com a participação de atores profissionais e alunos finalistas da Escola Profissional de Teatro de Cascais, a peça parte do texto do autor galego Ramón del Valle-Inclán e é encenada por Carlos Avilez.

O início da temporada de verão do TEC é marcado pela estreia de uma tragicomédia galega, datada de 1919, aqui na versão e dramaturgia de Miguel Graça, a partir da tradução de Jorge Silva Melo.

Divinas Palavras segue as peripécias da curiosa família de Pedro Gailo, «um velho sacristão casado com a jovem Mari-Gaila», a qual está numa «relação de adultério com um vagabundo», e, enquanto ambos expõem Laureano, o “idiota da família”, em feiras para ganhar dinheiro, vários «acontecimentos dramáticos vão suceder-se».

A encenação do texto de Ramón del Valle-Inclán pertence a Carlos Avilez, responsável por dirigir António Marques, David Esteves, Fernanda Neves, Gonçalo Romão, Luiz Rizo, Raquel Oliveira, Sérgio Silva, Teresa Côrte-Real e ainda 39 alunos finalistas da Escola Profissional de Teatro de CascaisAna Coelho ajuda com o contexto histórico, sendo a cenografia e figurinos de Fernando Alvarez e a coreografia de Natasha Tchitcherova. Já o movimento fica a cargo de Nicolau Antunes e o apoio musical e voz de Hugo Neves Reis e Ana Ester Neves, respetivamente.

Divinas Palavras estará em exibição de terça-feira a domingo, entre 24 de junho e 27 de julho, no Teatro Municipal Mirita Casimiro.