BERGMAN BOGART

5 Covers Tornados Famosos pelo Cinema

A rubrica “5” pretende trazer aos leitores cinco factos cinematográficos de 15 em 15 dias. Esta semana, o Espalha-Factos centra-se em cinco covers que por si sós não chamaram muita atenção, mas uma vez parte de distintas bandas sonoras foram elevados a hits internacionais, tornando-se muitas vezes mais conhecidos que o próprio tema original.

1. As Time Goes By – Dooley Wilson

Casablanca

As Time Goes By é uma música originalmente composta por Herman Hupfeld em 1931. Foi escrita com o intuito de fazer parte do musical da Broadway Everybody’s Welcome, sendo regravada por uma variedade de artistas da época e atingindo um reconhecimento moderado. Mais tarde, em 1942, a faixa é reutilizada para o filme Casablanca, sendo interpretada pelo ator Dooley Wilson, no papel de Sam. A utilização de As Time Goes By em Casablanca elevou a faixa ao estrelato, tornando-a num sucesso internacional. A música faz atualmente parte da lista “100 Years… 100 Songs” do American Film Institute.

humphrey bogart & dooley wilson - casablanca 1943

2. Bang Bang (My Baby Shot Me Down) – Nancy Sinatra

Kill Bill, Vol. 1

http://youtu.be/HqAt4tOBhRY

O segundo single do álbum The Sonny Side of Cher, Bang Bang (My Baby Shot Me Down), foi escrito pelo marido de Cher na altura, Sonny Bono, e lançado em 1966. No mesmo ano, Nancy Sinatra grava a sua versão, num tom mais melancólico e acompanhada pela guitarra infusa em tremolo de Billy Strange. Esta versão, no entanto, manteve-se na obscuridade até 2003, quando foi incluída na banda sonora de Kill Bill, Vol. 1, como tema de abertura do filme de Quentin Tarantino. A partir daí, a faixa ganhou considerável notoriedade, aparecendo em outras bandas sonoras, como a de Zodiac (2007), de David Fincher, e sendo adaptada por uma variedade de outros artistas, entre os quais se contam Audio Bullys, Young Buck e Kardinal Offishal. 

Kill-Bill-Vol-1-uma-thurman-263936_1400_942-1024x689

3. A Fifth of Beethoven – Walter Murphy

Saturday Night Fever

A versão original desta música dispensa apresentações: a Sinfonia nº 5 em Dó Menor, do compositor clássico Ludwig van Beethoven, é uma das mais universalmente reconhecidas composições clássicas, e é geralmente tida em conta por pesquisadores como uma das mais importantes obras da sua era. Logo, não deixa de ser surpreendente que o seu primeiro movimento, no tempo Allegro con brio, tenha sido adaptado para um filme de Hollywood da natureza de Saturday Night Fever. Com o apoio de The Big Apple Band, o compositor americano Walter Murphy grava em 1976 uma versão disco do clássico de Beethoven. A inclusão do tema no famoso filme de John Badham protagonizado por John Travolta, no ano seguinte, levou-o ao 1º lugar da lista Billboard Hot 100. Não sendo um cover no verdadeiro sentido da palavra,  A Fifth of Beethoven é até hoje recordada como um marco da música disco. 

Saturday-Night-Fever-2

4. Mad World – Gary Jules & Michael Andrews

Donnie Darko

Mad World é um tema de 1982, da banda britânica Tears For Fears. Parte integrante do seu álbum de estreia, The Hurting, a música foi um sucesso no seu país de origem, chegando à terceira posição no UK Singles Chart, e atingindo posições relativamente elevadas numa série de outras nações. O verdadeiro pico de popularidade da composição chega, no entanto, quase 20 anos depois, em 2001, quando ao cover gravado por Gary Jules e Michael Andrews é atribuído um papel central na prestigiada longa-metragem Donnie Darko, de Richard Kelly. Com a popularidade do filme protagonizado por Jake Gyllenhaal, a música chega ao primeiro lugar nas tabelas britânicas, tornando-se um sucesso internacional e estabelecendo-se como, discutivelmente, mais conhecida que o próprio tema original.

donnie-darko-2001

5. I Will Always Love You – Whitney Houston

The Bodyguard

O caso de I Will Always Love You não tem precedentes. Escrita por Dolly Parton e lançada no seu álbum de 1974, Jolene, a música foi bem recebida tanto pelo público quanto pela crítica, atingindo por duas vezes o topo da Billboard Hot Country Songs. Mas a fama do atualmente tão conhecido tema não ficaria por aí: aquando da sua estreia no grande ecrã, em 1992, foi pedido a Whitney Houston que interpretasse uma canção para a banda sonora. O filme em questão era O Guarda-Costas (The Bodyguard), um romance de Mick Jackson em que a cantora contracenaria com Kevin Costner. O original de Parton foi então rearranjado num estilo R&B e soul, e os resultados foram imprevisíveis: a música tornou-se num dos singles mais vendidos de todos os tempos, Dolly Parton sagrou-se como a única compositora a chegar ao topo das tabelas por três vezes com o mesmo tema, e a banda sonora de The Bodyguard é, até à data, a mais bem sucedida da história do cinema, com mais de 45 milhões de cópias vendidas.

the-bodyguard-original1

Mais Artigos
‘Ghostbusters: Afterlife’ adiado para junho de 2021