O Consulado de Portugal em Paris é agora casa para a exposição “Rostos – Retratos de portugueses em França”, uma colaboração do jornalista e fotógrafo Ricardo Figueira e da investigadora Elisabete Machado. As fotografias dos emigrantes portugueses têm o objectivo de abolir o preconceito de ainda existe face à comunidade lusitana.

A exposição reúne 25 retratos a preto e branco e os respectivos depoimentos, nos quais os modelos falam sobre o que é ser um português residente em França. Os escolhidos são pessoas já nascidas em França, emigrantes de há meio século e emigrantes recentes.

Acerca do conceito de preconceito patente nesta iniciativa, Ricardo Figueira salienta: “Muita gente em França tem a ideia que o português está limitado a duas ou três profissões, como a mulher-a-dias, a porteira e o homem das obras, e que somos todos morenos, baixinhos e com bigode. Eu não quero lutar contra os clichés nem afirmá-los. Quero é dizer: há pessoas de todos os tipos físicos, de todas as idades, de ambos os sexos, a fazerem todas as profissões, espalhadas por toda a França.

Esta exibição marca um ciclo, já que na década de 60 também eram muitos os emigrantes que se deslocavam para França em busca de melhores condições de vida. Hoje em dia, factores como os estudos ou o emprego estão na base deste movimento.

A exposição estará aberta ao público até dia 20 de junho, mas os autores pretendem transformá-la em livro até ao final do ano.