O último filme de Abel Ferrara, Welcome to New York, baseado no escândalo mediático do antigo diretor do FMI, Dominique Strauss-Kahn, vai ser exibido no Festival de Cannes, a 17 de maio, numa sessão extra, fora da seleção oficial.

Nesse dia, a estreia é dupla: seguindo uma estratégia de distribuição video on demand, o filme vai começar a ser distribuído online por sete euros, em França e vários países europeus.

Os responsáveis por Welcome to New York, o realizador Abel Ferrara e o produtor Vicent Maraval esclareceram várias vezes que este não será um filme biográfico de Strauss-Kahn. A mistura entre realidade e ficção fica equilibrada: o filme usa nomes fictícios (a personagem Devereaux é inspirada em Strauss-Kahn), mas alguns dos cenários são verdadeiros, como a prisão de Harlem.

O trailer, lançado na última terça-feira (dia 6) pelo site Télérama, dá o aviso: “este filme é inspirado num processo judicial em que as fases públicas foram filmadas, transmitidas e comentadas pela comunicação social de todo o mundo. Mas as personagens do filme e as cenas que as mostram na sua vida privada são ficcionadas”.

Em França, a expetativa sobre o filme é muita. Welcome to New York recupera um pouco do escândalo mediático que rebentou em maio de 2011, quando o então diretor do FMI foi detido por agredir sexualmente a empregada de um hotel. Ainda assim, Gérard Depardieu, que interpreta Deveraux, é a única veia francesa do filme, uma vez que, apesar da antecipação, de França não veio apoio para o financiamento ou distribuição da película.

Trailer de Welcome to New York: