A edição deste ano do Boom Festival vai contar com festivaleiros de 130 nacionalidades diferentes. A organizadora do festival vai assim superar a fasquia de 2012, ano em que encheu a Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova, com pessoas de 102 países.

A marca foi assegurada pela organização quando faltam ainda três meses para o evento, pelo que até lá outras bandeiras poderão vir a juntar-se em Castelo Branco.

O festival, bienal, que acontece sempre durante a lua cheia de Agosto – que este ano calha de dia 4 a dia 11 – será um dos mais internacionais eventos realizados em Portugal, apenas ultrapassado pela EXPO’98.

Inicialmente conhecido como um festival de trance, o Boom é hoje sinónimo de cultura multidisciplinar que, para além da música, celebra também a pintura, a escultura, o artesanato, o cinema, o teatro, e há ainda zona para massagens e workshops. Tudo numa perspectiva alternativa, progressista, e de “consciência verde”, o que já lhe valeu distinções internacionais. Em 2010 recebeu um convite da ONU para fazer parte da United Nations Environmental and Music Stakeholder Initiative, um projeto que visa a consciencialização do grande público para as questões ambientais. O Boom destaca-se também por ser o único festival que abdica de apoios comerciais quer na sua organização quer na sua promoção.

Os bilhetes para a décima edição já podem ser adquiridos através do site oficial.