A 10 de maio, foi a vez da Orquestra Típica e Rancho de abrir a segunda noite da Queima das Fitas a partir do palco principal, enchendo o recinto aos poucos. A festa deixou os tons tradicionais e entregou-se à eletrónica no resto da noite.

Após um início mais tradicional, os Karetus animaram a noite e deixaram o público ao rubro com as duas batidas eletrónicas. A banda primou pela interação com o público, pondo-o a saltar ao som das suas músicas, criando uma grande dinâmica no recinto, que esteve sempre em crescendo.

Seguiu-se Apster + ZAWDI MC, que preparou o público para Afrojack. Finalmente, chegada a hora do tão esperado cabeça de cartaz, os gritos invadiram o recinto. Apesar da vista sobre o artista ser muito reduzida por atuar atrás de um grande écran, Afrojack hipnotizou o público com ritmos eletrónicos intensos, que fez acompanhar por um espetáculo visual criado por uma grande dinâmica entre luzes, fitas e fumo.

Paralelamente, no palco RUC, foi “noite do Rock” e nas tendas a noite continuava com música eletrónica mais popular.

Foi uma noite de recinto extremamente cheio de copos, capas negras, boa eletrónica e um público delirante que gerou um grande ambiente perfeito para a diversão estudantil.