Segundo o relatório da organização Freedom House, o ano de 2013 foi o ano em que registaram os níveis de liberdade de imprensa mais baixos dos últimos dez anos.

O relatório afirma que apenas 14% da população tem acesso a uma imprensa livre, enquanto que a percentagem da população sem acesso a uma imprensa livre é de 44%. No entanto, há países em que a imprensa é parcialmente livre, atingindo cerca de 42% da população mundial.

O relatório classifica a liberdade de imprensa tendo em conta uma escala de 1 (mais liberdade de imprensa) a 100 (menor liberdade de imprensa). A Suécia é o país onde a imprensa é mais livre, com 10 pontos. A Coreia do Norte, com 97 pontos, é o país onde há menor liberdade de imprensa.

jornalismo2

Portugal está classificado com 18 pontos, encontrando-se no 22º lugar da lista. Os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) ficaram divididos pelos três grupos. Cabo Verde e São Tomé e Príncipe ficaram no grupo de países com liberdade de imprensa, Timor-Leste e Moçambique no grupo dos países com uma imprensa parcialmente livre e no grupo dos países com uma baixa liberdade de imprensa ficaram Guiné-Bissau e Angola.

O relatório concluiu que desde 2004 a liberdade de imprensa tem vindo a diminuir assim como o número de pessoas com aceso a uma imprensa livre. A organização não-governamental acrescenta num comunicado que se observa “uma regressão geral da liberdade de imprensa, com governos e agentes privados que atacam jornalistas, seja impedindo-lhes o acesso a acontecimentos, seja censurando-os, seja despedindo-os por motivos políticos”.