O FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas decorrerá de sete a 25 de maio, com 14 espetáculos a não perder, dos quais oito são estreias nacionais e uma estreia absoluta, acrescentando ainda com algumas atividades complementares.

A imprensa destaca Buddenbrooks e Actéon Miniature, duas estreias nacionais, a primeira com manipulação à vista e a segunda com técnica mista. No entanto, da programação fazem parte Lähto/Départ, uma das das estreias nacionais e o espetáculo de abertura do FIMFA Lx14, que se trata de “um trabalho entre o circo, a magia, a dança, o guarda-roupa, o teatro de objetos e as artes visuais”; Big Rory & Ochie The Dog sobre um gigante escocês e o seu cão rafeiro, Sota Minims – outra estreia nacional – que joga com sombras e objetos, a estreia nacional Opéra Opaque que oscila entre o fantástico e o humor fazendo uso do noir e do arrepiante, Uma Aventura no Espaço do Teatro do Ferro, a estreia nacional Phantom Story com projeções, sombras e figuras de papel, Pelos Cabelos do Teatro de Marionetas do Porto, a estreia nacional Savanna: A Possible Landscape com autómatos e teatro visual, o Mi Ré Miró que pretende “dar voz e vida” à obra de Joan Miró, a estreia absoluta Olo do Teatro do Ferro sobre o processo de criação, Mironescópio: A Máquina do Amor de A Tarumba – Teatro de Marionetas A Caminhada dos Elefantes de Miguel Fragata e Inês Barahona.

Buddenbrooks da companhia Puppentheater Halle estará em cena de nove a 10 de maio, tendo como inspiração uma “obra magistral de Thomas Mann com seis atores-marionetistas [Kerstin Daley-Baradel, Ines Heinrich-Frank, Katharina Kummer, Nils Dreschke, Philipp Pleßmann e Lars Frank], marionetas hiperrealistas [concebidas por Hagen Tilp] e uma boa dose de grotesco e de humor”, com a intenção de criar um retrato social capaz de levantar questões ligadas à existência contemporânea.

A peça trata-se da adaptação de John von Düffel do romance Buddenbrooks de Thomas Mann, publicado em 1910, conta “a história do declínio de uma família burguesa abastada do norte da Alemanha ao longo de quatro gerações”. Em alemão com legendagem, é uma peça com duração de 2h30m, com intervalo. O preço dos bilhetes é de 12€ (com desconto fica a 6€ e, para menores de 30, 5€).

De 16 a 17 de maio, é a vez de Actéon Miniature, do TJP – Centre Dramatique National D’Alsace Strasbourg, permitir que “um espetáculo inspirado no mito grego  presente nas Metamorfoses de Ovídeo” conte como se procede “a iniciação” do jovem caçador Actéon [interpretado por Carine Gualdaroni] que, quase a passar para a idade adulta, se confronta “consigo próprio e com os seus desejos transgressivos”, num cruzamento de marionetas e dança, sem deixar de lado uma “reflexão sobre as imagens e a matéria”.

O encenador Renaud Herbin afirma que gosta de “deixar espaço para a imaginação dos espetadores, de forma a que cada um possa contar a sua própria história. Isto é o que de mais belo há nas artes do espetáculo.” Este espetáculo tem uma duração de 45m e o preço dos bilhetes é de 12€, na sala principal com bancada, e de 6€ com desconto (5€ para menores de 30).

As atividades complementares passam pela apresentação do documentário An Attic full of Puppets de Richard Butchins, uma estreia nacional sobre as marionetas e a memória através de uma “viajem pela vida de Frank Mumford, um dos maiores mestres do teatro de marionetas”, uma mostra bibliográfica e um encontro com os criadores ao longo de todo o festival.