Domenico Dolce e Stefano Gabbana, designers da marca italiana Dolce&Gabbana, foram sentenciados a dezoito meses de cadeia por evasão fiscal. 

O duo tinha já sido considerado culpado a Junho do ano passado pelo crime, mas recorreu da decisão. O Tribunal de Recursos de Milão atribuiu uma sentença reduzida de dezoito meses aos dois criadores e ao contabilista da marca, Luciano Patellito.

Os dezoito meses não terão, no entanto, de ser passados em custódia, havendo possibilidade de prisão domiciliária.

O crime, negado por Dolce e Gabbana, terá ocorrido em 2004, quando os produtos das marcas Dolce&Gabbana e D&G (já extinta) terão sido vendidos a uma empresa de fachada criada pelo duo em Luxemburgo para, segundo as autoridades, evitar pagar impostos corporativos mais elevados. A marca não terá declarado cerca de um bilião de euros.

Os advogados da Dolce&Gabbana pretendem recorrer novamente da sentença no Supremo Tribunal Federal.