O Museu da Electricidade e a Fundação EDP recebem a partir de dia 30 de abril os trabalhos fotográficos distinguidos pela fundação World Press Photo. O Espalha-Factos foi espreitar as fotografias premiadas, em exoposição até dia 25 de maio.

Pelo oitavo ano consecutivo, a cidade de Lisboa está no mapa de cidades que recebem a exposição World Press Photo, onde se exibem as fotografias premiadas daquele que é um dos mais prestigiantes prémios de fotojornalismo a nível mundial.

A distinção máxima deste ano foi para John Stanmeyer, fotógrafo da National Geographic, que viu o seu trabalho galardoado como World Press Photo Of The Year, tendo também vencido na categoria Temas Contemporâneos.

“Estamos habituados à escolha de fotografias pesadas, visualmente intimidantes. Esta é bastante diferente.” A fotografia “Signal” tem “uma beleza quase poética” para a coordenadora das exposições, Femke van der Valk“É uma imagem que nos fala sobre os problemas da emigração, globalização, tecnologia, a comunicação entre os seres humanos e a vontade de estarmos ligados”.

Em destaque está também Final Embrace de Talisma Akhter, fotografia de dois corpos sem vida, abraçados entre os destroços do desabamento de um prédio no Bangladesh, em maio do ano passado. A coordenadora da exposição elege-a como a sua favorita: “É uma imagem muito poderosa, que conta como as vidas deste casal chegou ao fim. Circunstâncias horríveis, um romance à Romeu e Julieta”. Também os registos fotográficos dos atentados de Boston, a cobertura da guerra civil na Síria ou até mesmo o acompanhamento próximo de um caso de violência doméstica foram galardoados.

As histórias e particularidades que caracterizam cada fotografia, as reflexões dos fotógrafos acerca das mesmas, ou até os detalhes técnicos podem ser consultados numa aplicação gratuita, disponível para smartphones.

A exposição estará patente até dia 25 de maio e a entrada tem o preço de dois euros (um euro, para estudantes), preço simbólico que reverte para o projecto UMAD, da Fundação Gil, que se dedica a dar apoio ao domicílio a crianças com graves problemas de saúde.