Na semana em que a Revolução dos Cravos faz 40 anos, as celebrações são várias. E como tudo é pouco para lembrar o fim da ditadura, a televisão faz-se de dias de programação especial. O Canal História não é exceção.

São quatro os documentários que vão preencher o 25 de abril. Desde as 16h55 até ao final do dia, o Canal História vai elucidar os portugueses sobre o dia da revolução que mudou o país. O dia seguinte, sábado 26, faz-se de repetições para quem não teve a oportunidade de ver na primeira hipótese.

25 minutos de uma revolução é o documentário que dá início aos dias de programação especial. Transmitido dia 25, às 16h55, e novamente às 20h00, terá repetição, no sábado, às 00h20, e, às 16h45. O dia que marcou o fim da ditadura é agora contado pela voz de quem a tornou possível. São 25 minutos com as histórias de quem lá esteve, de quem saiu à rua, de quem ajudou dar início a um país livre.

Depois de uma visita à revolução, o Canal História leva os portugueses a um passado mais longínquo para dar a conhecer a história de uma república que não se fez de facilidades. “Porque caiu a monarquia e como se estabeleceu um regime republicano que mantinha quase todos os vícios da monarquia?” é a pergunta a que este documentário pretende responder. Numa viagem com início em 1908, na altura do assassinato do rei D. Carlos, os testemunhos dos descendentes dos primeiros presidentes da república são a fonte de análise das várias fases das diferentes formas de governo. A República Portuguesa será transmitida dia 25, às 17h20, com repetição dia 26, às 02h35, e, às 14h10.

revolucionclaveleshistoria

E depois de melhor compreender o passado, o Canal História transporta-nos aos anos que antecederam a revolução de abril. 1969 e começa a revolta dos estudantes de Coimbra: a recusa das autoridades em darem ouvidos aos estudantes origina a revolta e a desobediência cívica na cidade. As tentativas de repressão só pioram a situação. Revolução Estudantil de Coimbra encontra os relatos dos estudantes que deram a voz ao descontentamento na altura e conta o que têm a dizer agora. O documentário é transmitido dia 25, às 18h15, sendo repetido dia 26, às 01h40, e, às 15h05.

E para terminar o programa de celebração, a viagem é até ao fim da revolução. A revolução de abril de 1974 não terminou aí, as repercussões continuaram e no verão de 1975 as greves e manifestações ainda se faziam sentir fortemente pelo país. Os ataques às sedes dos partidos políticos e aos terrenos e habitações do Alentejo, são acontecimentos frequentes. O resultado é o confronto das duas visões diferentes da liberdade e da democracia. O Último Dia da Revolução responde às perguntas de quem quer saber o que realmente resolveu. O documentário tem transmissão dia 25 às 19h10 e será repetido dia 26, às 00h45, e, às 15h55.