O Festival de Cannes deste ano conta com duas curtas-metragens nacionais. A Caça Revoluções, de Margarida Rêgo, e Boa Noite Cinderela (na imagem, à esquerda), de Carlos Conceição, foram as contempladas, e serão exibidas na Quinzena dos Realizadores e na Semana da Crítica, respetivamente, que decorrerão durante o Festival.

Margarida Rêgo é a realizadora de A Caça Revoluções, filme selecionado para a edição 46 da Quinzena dos Realizadores, um evento que valoriza autores novos ou veteranos com uma forte identidade artística. Inspirada numa fotografia tirada em 1974, “pouco depois da Revolução Portuguesa sair às ruas”, a realizadora desenvolveu um filme de animação experimental onde a perspetiva de quem viveu numa época onde se lutou por um país através de uma revolução, entrega sentimentos de nostalgia aos que gostariam de a ter vivido ou que agora acreditam que ainda é possível voltar a lutar pelo mesmo país, da mesma forma.

A fotografia que originou A Caça Revoluções

Para a 53ª edição da Semana da Crítica – outro evento que promove novos talentos paralelo ao Festival de Cannes – foi selecionada Boa Noite Cinderela, uma curta de Carlos Conceição que conta a história da Gata Borralheira de um modo “mais carnal, mais materialista, menos romântico, onde é imprecisa a fronteira que separa o desejo de ter e de ser a dona do sapato”. Joana de Verona (Como Desenhar um Círculo Perfeito),  João Cajuda e David Cabecinha  (O Que Há de Novo no Amor?) integram o elenco da curta nomeada.

Os dois filmes foram também selecionados para a Competição Nacional de Curtas-metragens do IndieLisboa’14, que começa já na próxima quinta-feira, dia 24. Entre 15 a 23 de maio, marcarão presença em Cannes.