Anke Domaske, designer e microbióloga alemã, descobriu como criar roupa a partir da extração de uma proteína derivada do leite azedo.

QMilch é fabricada a partir de caseína em pó, uma proteína derivada do leite de mamíferos, geralmente usado para consumo industrial na produção de plásticos, tinta e adesivos. Esta fibra especial permite confecionar roupa que, apesar da sua textura sedosa, não necessita do uso de pesticidas, sendo ideal para pessoas com alergia a têxteis, como o padrasto de Domaske.

MCC_JANNESFRUBEL593-600x899

Esta fibra biodegradável, livre de quaisquer químicos e antibacteriana, que passa por um processo de aquecimento e trituração, demora apenas uma hora a ser produzida. O processo de refinamento é similar ao de produção de queijo, em que a coalhada é separada do soro de leite. A grande diferença é que a caseína é feita de leite azedo, o que significa que a QMilch aproveita algo que de outra forma, por estar para além do consumo humano, seria desperdiçado.

Domaske é assim, além de autora da QMilch, fundadora da empresa que a produz e da marca Mademoiselle Chi Chi (MCC), que utiliza a fibra em 50% da coleção. As suas peças têm o aspecto da seda, mas podem ser lavadas e secas da mesma maneira que o algodão.

QMilch (junção do Q, que sugere qualidade, à palavra leite em alemão) ganhou o prémio inovação da Associação alemã de Investigação Têxtil.