A capela privada da rainha D. Maria Pia, no Palácio Nacional da Ajuda, volta a estar acessível ao público. Criada pelo arquiteto Ventura Terra no ano de 1897, encontrava-se encerrada desde a implantação da 1ª República e consequente fuga da família real no ano de 1910.

Graças ao mecenato da Fundação Millennium BCP foi possível restaurar e resgatar para fruição do visitante um espaço tão singular e por norma desconhecido da população. Obras de mestres da pintura italiana dos séculos XVII e XVIII, tais como esculturas, alfaias religiosas e a Santa Face, de El Greco (única obra deste pintor no nosso país) que até agora estiveram afastadas dos olhares dos turistas.

A cerimónia de inauguração contou com a presença de Jorge Barreto Xavier, Secretário de Estado da Cultura, António Monteiro, Presidente do Conselho de Administração do Millennium BCP, Nuno Vassallo e Silva, Diretor Geral do Património Cultural, José Alberto Ribeiro, Diretor do Palácio da Ajuda e Fernando Nogueira, Presidente da Fundação Millennium BCP.

Maria Pia de Saboia nasceu no ano de 1847 e morreu em 1911 em Turim (cidade italiana). Tornou-se rainha de Portugal por casamento com o rei D. Luís I. Ficou sobretudo conhecida como “O Anjo da Caridade” e “A Mãe dos Pobres” pela compaixão e causas sociais. Proferiu a famosa frase em resposta à crítica de um dos seus ministros devido ao preço das suas extravagâncias: “Quem quer rainhas, paga-as!“.
unnamed