Marc Webb convenceu o público e a crítica em 2012, ao dar uma nova vida ao Homem-Aranha, que surgiu com uma nova cara e uma personalidade mais corajosa e divertida. Mas se o primeiro novo filme de Spider-man surgiu como uma lufada de ar fresco entre os blockbusters de super-heróis, já O Fantástico Homem-Aranha 2: O Poder de Electro ficou aquém das expectativas.

Neste filme, o Homem-Aranha (Andrew Garfield) continua a proteger os seus concidadãos. Mas quando surge Electro (Jamie Foxx), Peter tem de enfrentar um adversário bem mais poderoso que ele. Ao mesmo tempo, com o regresso do seu velho amigo Harry Osborn (Dane DeHaan), o jovem super-herói apercebe-se que há um elo comum a todos os seus inimigos: a OsCorp.

O argumento de O Fantástico Homem-Aranha 2: O Poder de Electro traz-nos vilões a mais, humor a mais e emoções a menos, não deixando contudo de estar na média da qualidade dos filmes da Marvel. No entanto, mais de 2h20 de duração (é o mais longo filme do Homem-Aranha até agora) é demais para um filme de super-heróis, onde os vilões parecem multiplicar-se para desgaste do espectador que tarda em ver o fim à história.

the-amazing-spider-man-2-photos-electro

O Fantástico Homem-Aranha 2: O Poder de Electro mantém o tom descontraído do seu predecessor, e acrescenta-lhe algum sarcasmo, com uma espécie de auto-paródia ao próprio Homem-Aranha (até o toque de telemóvel de Peter Parker é divertidamente familiar). Contudo, a certo ponto, esse humor começa a ser em demasia e já muito previsível e pouco natural.

Marc Webb perdeu o encanto que colocou no primeiro filme, mas não deverá desiludir os fãs de Spider-man, que certamente sentirão o balanço da longa-metragem e a inesgotável fonte de vilões de forma mais familiar do que o público comum e menos ligado à História deste personagem da Marvel.

No elenco, Andrew Garfield continua a surpreender com esta nova encarnação de Spider-man, mais descontraído e provocador. Por seu lado, Emma Stone conquista definitivamente o público com a sua Gwen Stacy, cativante, corajosa e aguerrida, como a Mary Jane Watson de Kirsten Dunst nunca foi. Nos secundários, Jamie Foxx surpreende ao vestir a pele de Max Dillon ou ElectroDane DeHaan assume uma forte e obscura personalidade como Harry Osborn, fazendo prever dificuldades para o futuro de Peter Parker. Já Paul Giamatti surge quase irreconhecível como o alucinado Aleksei Sytsevich (ou The Rhino, se preferirem). De regresso está a veterana e sempre talentosa Sally Field, a Tia May, sempre carinhosa e preocupada com o sobrinho.

rs_1024x759-131205062817-1024-2amazing-spider-man-2.ls.12513

Neste capítulo, o 3D nada acrescenta à componente técnica, ao contrário do que acontecia no primeiro filme. Ainda assim, são de destacar os inacreditáveis efeitos especiais, que mostram Nova Iorque como nunca a vimos. A acompanhar, a banda sonora com temas da autoria de Johnny MarrPharrell Williams ou Hans Zimmer, resulta na perfeição com as imagens que vemos.

Depois do excelente regresso do Homem-Aranha em 2012, O Fantástico Homem-Aranha 2: O Poder de Electro não faz jus ao que o primeiro filme prometia. Marc Webb perdeu o ritmo, mas Andrew Garfield e Emma Stone continuam a dar valor ao casal protagonista para agrado dos fãs.

6/10

Ficha Técnica:

Título Original: The Amazing Spider-Man 2

Realizador: Marc Webb

Argumento: Alex Kurtzman, Roberto Orci, Jeff PinknerJames Vanderbilt, baseado na banda desenhada de Stan LeeSteve Ditko

Elenco: Andrew Garfield, Emma Stone, Sally Field, Jamie FoxxDane DeHaanPaul GiamattiFelicity JonesColm Feore

Género: Acção, Aventura, Fantasia

Duração: 142 minutos

Crítica escrita por: Inês Moreira Santos

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945