Falar dos Kaiser Chiefs remete-nos sempre para aquela vez que os vimos num festival de verão ou numa festa académica, já que Ricky Wilson e companhia estão sempre por cá para aproveitar o bom sol lusitano. Acontece que no passado final mês de março, os Kaiser Chiefs lançaram o seu quinto álbum de originais, Education, Education, Education & War, título inspirado num discurso de Tony Blair, antigo primeiro-ministro britânico.

Este álbum acaba por ser especial para a banda por vários motivos. É o primeiro álbum depois da saída de Nick Hodgson e da entrada de Vijay Mistry, mas também surge após a participação do Ricky Wilson no concurso The Voice, na versão do Reino Unido. A versão do “trickyRicky mais magra, chegou a ser vista como uma manobra para vender mais álbuns também, mas o que acontece é que na realidade este Education, Education, Education & War não passa de mais uma tentativa para subir uma montanha onde já estiveram no topo com os primeiros álbuns, onde estão os êxitos como “Oh My God” ou “I Predict a Riot” ou ainda o conhecido “Ruby“.

Se desse para dividir o álbum em duas partes conseguíamos. Se de um lado temos as pseudo-baladas, com letras um pouco frustradas, por outro temos malhas que fazem levantar o pé, principalmente num concerto. Ainda assim, as músicas não são desconhecidas, já que os Kaiser Chiefs fizeram questão de as espalhar durante a tour do ano passado.

kaiser_chiefs_education_education_education__war-portada

No início, empolgados por “The Factory Gates“, temos “Coming Home“, onde sobressai a letra algo desesperada de alguém que quer ir para casa, mas onde se pode destacar a sonoridade. À terceira faixa, chegamos ao topo do álbum, com Misery Company, que nos faz recordar os bons Kaiser Chiefs, ou melhor dizendo, os Kaiser Chiefs de 2005, 2006. Das teclas à voz, tudo resulta numa música que tem tudo para ser o êxito deste álbum.

Depois, por entre um misto de banalidades de um álbum que dura 46 minutos, One More Last Song, aqui somos mesmo empolgados mais pela música do que pela letra em si, mas não deixa de ser um bom apontamento no álbum, My Life e Cannons, onde está referenciado o título do álbum e com um exagerado monólogo de 2 minutos no fim, são as outras três faixas que se destacam. Qualquer uma das três faixas deixa laivos daquilo que os Kaiser Chiefs outrora já foram. Dançáveis, enérgico e com letras relativamente contagiantes. Faixas como Roses, Meanwhile Up In Heaven ou Ruffians on Parade, que mais parecem colocadas para ocupar espaço, leva-nos a crer que esta foi uma oportunidade perdida para recuar para os bons velhos tempos.

Education, Education, Education & War é a prova de que embora os Kaiser Chiefs nos possam proporcionar bons momentos de música, continuam a lutar para conseguir voltar à antiga forma.

Classificação: 6.7/10