Este artigo é para os indignados e inconformados com o final de How I Met Your Mother (HIMYM). Poderá mudar a vossa opinião!

Aviso: este artigo contém spoilers!

Em primeiro lugar, permitam-me que vos demonstre o quanto eu gostava desta série. O meu 1.º de abril foi, muito provavelmente, o dia mais longo da minha vida. Tive de acordar às seis da manhã para ir até Guimarães (vivo em Coimbra), ciente de que, àquela hora, já o episódio havia estreado nos Estados Unidos e sem saber a que horas regressaria a casa para o poder ver. Passei o dia com o estômago às voltas, e com as mãos desocupadas, pronta para tapar os ouvidos caso alguém à minha volta comentasse o episódio (spoilers deveriam ser punidos por lei; fica a sugestão). Cheguei a casa por volta das 17h tão, mas tão ansiosa que corri até à cozinha, onde uma amiga minha me esperava com o episódio carregado no computador, pronto a iniciar.

HowIMetYourMotherSeason9

Três minutos passam e eu já estava de lágrimas nos olhos. “Isto vai mesmo acabar. É o final. Mesmo que termine como eu quero que termine, How I Met Your Mother chegou ao fim”, pensava. A última vez que me tinha sentido assim foi com Friends. Quarenta minutos passam e, bem… vocês sabem como acaba a história. Fiquei destroçada. Durante o resto do dia (vá, da semana) só conseguia pensar: “COMO É QUE ELES FORAM CAPAZES DE ME FAZER ISTO?!” Não me conseguia conformar.

Curiosa em relação às opiniões dos milhares de fãs de HIMYM, comecei a procurar artigos, comentários e posts nas redes sociais e, apesar de as opiniões serem variadas, no geral as pessoas pareceram não ter gostado. High-five para elas. Eu também tinha detestado.

Mas, uns dias depois, parei e pensei: “eu adoro esta série; mesmo os seus episódios mais fracos me divertiram; recuso-me a odiá-la só por causa dos seus últimos 10 minutos”. E, aos poucos, fui analisando o episódio e consegui tirar algumas conclusões que me descansaram e me trouxeram a paz de espírito que qualquer fã procura alcançar quando a sua série preferida chega ao fim.

Lily & Marshall

Sobre Lily e Marshall não tenho muito a dizer porque, na verdade, não há muito a dizer. Eles são o casal-maravilha. Não importa quantos obstáculos tiveram de enfrentar, conseguiram superá-los todos, acabando por, no fim, conseguirem realizar até os seus sonhos pessoais. Lily passou um ano em Itália, Marshall tornou-se juiz, e foram pais por três vezes. Sim, a sua presença no episódio final não foi muito relevante, mas o seu fim já era previsível.

Barney

Há algum tempo que deixei de tolerar comédias românticas. Perdi a paciência para assistir a 90 minutos de filme, sempre segundo a mesma premissa: rapaz mulherengo conhece rapariga; rapaz apaixona-se por rapariga e apercebe-se do quão vazia é a sua vida; rapaz promete mudar pela rapariga e jura-lhe amor eterno; e vivem os dois felizes para sempre. De certa forma, era este o fim que Barney iria receber caso ficasse com Robin. O Barney casado e conformado, atrás da sua mulher para onde quer que ela fosse, não era o Barney que nós conhecíamos e adorávamos. Sempre torci para que Barnman & Robin ficassem juntos, mas agora percebo que nunca resultaria. Além disso, Barney ama demasiado Nova Iorque para ficar longe dela durante muito tempo. Em relação à bebé Ellie, digo apenas isto: para mim, a cena em que Barney conhece a sua filha foi a melhor de todo o episódio.

How I Met Your Mother

Ted

Ted Evelyn Mosby. Que dores de cabeça nos deste durante todos estes anos. Tanto tempo à espera que nos mostrasses como, realmente, conheceste a mãe dos teus filhos, e acabas por te referir a ela muito brevemente na última temporada. A cena debaixo do guarda-chuva foi perfeita (o episódio deveria ter terminado aí), mas quando Ted diz que Tracy havia falecido, caiu-me tudo. Nunca pensei que os escritores se atrevessem a ir pelo caminho do drama. A cena mais triste que teve lugar na série terá sido talvez a morte do pai de Marshall. Mas foi esse o destino que decidiram dar à tão falada Mãe. “Porquê?”, perguntamo-nos nós. Bem, espero que isto não seja nenhuma novidade para vocês, mas cá vai: as pessoas morrem. Até mães e esposas carinhosas, divertidas e bonitas morrem. Não faz muito sentido, mas há quem adoeça e acabe por falecer, mesmo que jovem. Acontece.

Outra coisa que percebi finalmente foi que Tracy era o verdadeiro amor de Ted. Ele nunca voltaria para Robin caso ela não tivesse morrido. E só o fez com a bênção dos seus filhos e após seis anos de luto. Ted e Robin gostavam um do outro e estavam ambos num ponto das suas vidas em que conseguiriam manter uma relação: Ted em paz com a morte da sua mulher, e Robin com uma carreira estável. Porque não se juntarem?

Robin

Algumas das críticas que li em relação ao final dado a Robin incitaram-me à escrita desta crítica. Como sabemos, Robin divorciou-se de Barney para se concentrar na sua carreira e não o fazer infeliz ao obrigá-lo a viajar constantemente. Estes dois anti-casamento tentaram a vida enquanto marido e mulher, e não conseguiram. Portanto, Robin fica solteira, infeliz, concentrada no trabalho para não pensar no erro que cometeu ao não ter ficado com Ted, vivendo sozinha e amargurada com os seus 56 cães num apartamento minúsculo em Nova Iorque. É isto que retiro das críticas que li, e com as quais discordo totalmente.

Porquê que assumimos que ela não era feliz por viver para os seus cães e para o seu trabalho? Porquê que é assim tão inaceitável que uma mulher queira ser independente e ter uma carreira bem-sucedida, em vez de ter como principal objetivo casar e ter filhos? Mesmo antes de saber que não podia engravidar, Robin já havia afirmado que marido e filhos não era o que ela queria. Tal como Barney, Robin manteve-se fiel a si mesma. E mesmo tendo-se apercebido de que era com Ted que deveria ter ficado, ela seguiu com a sua vida, alcançando os sonhos que sempre teve e sem empatar ninguém. E, mesmo seis anos após a morte da mãe, Robin não fez nada em relação a Ted: foi ele que decidiu voltar para ela; logo, podemos concluir que Robin estava bem consigo mesma.

Filhos

Sim, a reacção dos filhos ao fim da história foi estranha, mas lembrem-se que, ao contrário de nós, eles ouviram o pai falar durante uma tarde, não durante nove anos.

Espero que este artigo descanse os vossos coraçõezinhos e que vos faça odiar o episódio um bocadinho menos. Pode não ter sido o final ideal, mas não se despeçam de HIMYM chateados com o gang. Isso é muito pouco legendary.