O músico Júlio Resende lançou o disco Amália por Júlio Resende em outubro do ano passado e levou, com este álbum, o fado até ao piano. Segundo o comunicado de imprensa, pretende exprimir, com o piano, “tudo o que o Fado significa”. Apresenta o novo trabalho no próximo dia 16, quarta-feira, na Culturgest.

De acordo com o comunicado, o músico afirma que “queria fazer o disco a solo mais pessoal possível” e que a palavra solo está relacionada “com terra, com raízes, com o chão que pisas, que habitas”. Entre as memórias mais antigas para o cantor está a Casa Portuguesa, cantada por Amália Rodrigues, ou a Estranha Forma de Viver. Desta forma decidiu transpor o fado reconhecido pela fadista para o piano e o resultado final é Amália por Júlio Resende.

Neste disco, é autorizado ao artista utilizar a voz da fadista numa das canções. Júlio Resende utiliza a voz de Amália Rodrigues na última faixa do disco, Medo, no piano e é a primeira vez que a editora Valentim de Carvalho autoriza um músico a utilizar a voz da fadista.

Júlio Resende começou a tocar aos quatro anos e, com a certeza de que queria aprender piano, entrou no Conservatório em Faro. Apesar do gosto por música clássica, acabou por entrar no mundo do jazz para sentir um pouco mais de liberdade. “O jazz não é um estilo, é um modo de pensar”, afirma o pianista, que encontrou neste estilo musical uma liberdade que é exigida aos músicos. Gravou em quarteto e em trio os três primeiros dias mas é com Amália por Júlio Resende que se estreia a solo.

Apresenta o disco no Grande Auditório na Culturgest, em Lisboa, no próximo dia 16 de abril por volta das 21h30.  O preço do bilhete é de 5 euros, para pessoas com menos de 30 anos, e de 10 euros para os restantes.

Podes ouvir mais abaixo o tema Medo por Júlio Resende ao piano com a voz de Amália Rodrigues: