Arranca hoje a segunda edição do ‘Festival da Francesinha de Lisboa’, na Feira Internacional de Lisboa (FIL). Até Domingo, 6 de abril, irão ser servidas cerca de 7.000 refeições diárias.

A estimativa de refeições dada pela organização tem por base o sucesso da primeira edição do evento, realizada em dezembro do ano passado, que “excedeu as expectativas”. Segundo Marta Azevedo, da organização, “devido ao elevado número de visitantes, muitas pessoas foram embora sem conseguir provar as francesinhas”, não tendo havido capacidade de resposta.
Esta semana, o evento da iguaria típica da cidade do Porto, irá englobar a participação dos restaurantes A Cufra, Majará, Lado B, Capa Negra, Alfândega Douro e D’Oporto.  De forma a “evitar que as pessoas estejam na fila” foi criado um menu de acesso a qualquer restaurante no festival, que se encontra à venda na Ticketline por 12 euros, composto pelo prato, bebida e café. 
A francesinha, que segundo a tradição terá sido criada por um emigrante retornado de França, foi buscar inspiração nas sanduíches que os soldados franceses guarneciam com toda a espécie de carnes e queijos. O truque, diz Marta Azevedo, “está no molho”.  Linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de vaca, são alguns dos exemplos do que é incluído naquela que já é considerada uma das melhores sanduíches do mundo pelo site internacional Aol Travel.
O ‘Festival da Francesinha de Lisboa’ decorre de quarta a domingo, na FIL, no horário único das 12h às 24h, com entrada gratuita.