A SIC está de volta à liderança do mercado publicitário e a Impresa voltou a registar lucros no ano passado. São as duas grandes novidades nos resultados da holding liderada por Pedro Norton, ontem anunciadas em conferência de imprensa.

A empresa alcançou 6,6 milhões de euros de lucros no último ano, contrariando assim o cenário de prejuízo registado em 2012. As receitas cresceram 3,5%, para os 237,1 milhões de euros. Só no último trimestre, de acordo com informações divulgadas pelo Expresso, o crescimento alcançou os 10,1%.

As receitas de televisão foram as que mais contribuíram para o bom resultado. Os canais do universo SIC aumentaram em 9,4% os seus proveitos, o que permitiu compensar as perdas da área do publishing. A perda de receita estendeu-se ainda à área digital, no entanto o CEO da Impresa, Pedro Norton, manifestou confiança no trabalho a realizar nesta área, que fechou o ano com mais de 23 mil clientes, duplicando o valor registado no fim de 2012.

Receitas alternativas na dianteira

A subida de 35,8% na rubrica ‘outras receitas’ que inclui a venda de produtos alternativos, concursos e iniciativas interativas por chamadas de valor acrescentado foi outro dos grandes fundamentos para o crescimento do grupo. Em 2013, esta área totalizou 49,1 milhões de euros em receitas.

A publicidade recuou 0,9% para os 116,2 milhões de euros, mas continua a ser a maior fonte financeira do grupo (51%), que aumentou em 1,6 pontos percentuais a sua quota de mercado. A SIC cresceu 1%, em contraciclo com os restantes canais abertos, que derraparam 10%. A estação generalista liderou o horário nobre em 2013, muito graças à aposta nas telenovelas Dancin’ Days e Gabriela.