Noé

Filme Noé gera polémica no Médio Oriente e EUA

O filme Noé de Darren Aronofsky tem gerado polémica recentemente no Médio Oriente, onde a sua exibição será proibida, e também nos Estados Unidos, através de críticas ao filme por grupos católicos conservadores.

A película foi banida de países como os Emirados Árabes Unidos, Qatar, Bahrein e o Koweit. O facto de o novo filme de Aronofosky representar a imagem de um profeta é a principal causa do boicote, o que vai contra a cultura islâmica. De facto, entre a comunidade muçulmana, as representações são evitadas para que se possa impedir a adoração de uma pessoa em vez de Deus.

Em entrevista à Associated Press o director de conteúdos de media no National Media Center dos Emirados Árabes Unidos, Juma Al-Leem afirmou que ” Há cenas que contradizem o Islão e a Bíblia, por isso, decidimos não o exibir”.

O Egipto e a Jordânia são alguns dos países que ainda não chegaram a consenso quanto à exibição de Noé nas suas salas de cinema. Na verdade, autoridades de países com a religião muçulmana consideram mesmo que os censores dos seus governos muito provavelmente não permitiram que o filme seja mostrado ao público. Mohammad Zareef, funcionário do Conselho Central de Censores do Paquistão, por exemplo, afirma que: “Ainda não vi o filme, mas não creio que possa ser exibido nos cinemas do Paquistão“.

Por outro lado, nos E.U.A, grupos de católicos conservadores crêem que a fita desacredita esta história tão emblemática da Bíblia, pelo que têm vindo a manifestar o seu desagrado junto das salas de cinema. Por esta razão, a Paramount Pictures já garantiu que incluirá uma nota inicial no filme dizendo que “foram tomadas liberdades artísticas”.

Noé conta com a participação de atores conceituados como Russel Crowe, Jennifer Connely e Anthony Hopkins e pode ser visto nas salas de cinema portuguesas a partir do dia 10 de Abril.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Séries portuguesas
Dez séries portuguesas que não podes deixar de ver