A premissa é simples, criar “sketches curtos de humor feitos com amor“. A entidade que se propõe a esta tarefa denomina-se Bumerangue, é exclusivamente online e promete invadir os vossos feeds de notícias. Porquê este formato? “Porque se em poucos segundos não acontecer nada, o espectador muda de canal. Ou então vai ver porno.”

O grupo é formado por Carlos VilhenaGuilherme Geirinhas, Manuel Cardoso e Pedro Teixeira da Mota e situado em Lisboa, ou não fosse a noite alfacinha um dos alvos visados pelas suas tiradas satíricas. O grupo, segundo Carlos, reuniu-se em torno da plataforma social Vine, já que “gostávamos todos das páginas uns dos outros e começou muito por ai. Eu percebi que o formato de sketch curto tinha um enorme potencial”.

Com um máximo de 40 segundos por peça, Carlos explica que o objetivo é “criar um estilo e uma abordagem completamente diferente de tudo o que já foi feito aqui em Portugal e lá fora“. Com o seu sétimo sketch lançado recentemente (visando o fenómeno decadento-depressivo Casa dos Segredos), os Bumerangue defendem um princípio de qualidade sobre quantidade. “Os nossos sketches são sempre muito curtos e visuais e quando não são tão expressivos visualmente, investimos ainda mais no texto. O texto para nós é essencial, já escrevemos cerca de 200 sketches mas só vamos utilizar um número muito reduzido deles na primeira temporada.”, conclui Carlos.

Quanto a ser apenas online, para o grupo esse é o formato ideal para divulgar o seu material. No entanto, Carlos deixa uma ressalva: “Não dizemos que não a propostas por parte de estações de TV, mas têm de ser muito bem pensadas, até porque a nossa ideologia é ser o mais curto possível. Na TV, tempo é dinheiro.”

Podes visitar a página dos Bumerangue aqui e ver o mais recente sketch em baixo: