O tema da desigualdade de géneros é transversal a vários países. As mulheres recebem salários inferiores, ocupam menos cargos de liderança e têm uma menor taxa de escolarização, apesar dos progressos realizados nos últimos anos. Um estudo da Universidade Estadual de San Diego vem agora alertar para as diferenças entre homens e mulheres no mundo do cinema.

Sandra Bullock foi ao espaço e voltou, Jennifer Lawrence incendiou o grande ecrã e Lupita Nyong’o foi a primeira queniana a vencer um Oscar. A lembrar nomes como estes, 2013 parece um ano forte em prestações femininas. Mas, segundo o estudo “It’s a Man’s (Celluloid) World” , as mulheres tiveram uma fraca representação nos 100 filmes mais rentáveis de 2013.

Na última década, a percentagem de realizadores, personagens e talentos do sexo feminino tem vindo a aumentar. Mas, os números não mentem: a desigualdade entre homens e mulheres no grande ecrã ainda é um problema. O estudo afirma que apenas 15% dos 100 filmes mais lucrativos de 2013 tinham mulheres como protagonistas, 29% como personagens de destaque e 30 % de personagens com falas. Este é um panorama que sofreu poucas alterações desde 1940. No cinema, ainda não são elas que mandam.

O New York Film Academy publicou no ano passado um estudo semelhante que analisou os 500 filmes mais vistos entre 2007 e 2012. Apresentamos algumas das conclusões nos seguintes pontos:

Elas despem-se mais

Jennifer Lawrence e Amy Adams no filme Golpada Americana

Jennifer Lawrence e Amy Adams no filme Golpada Americana

O vestido esvoaçante de Marilyn Monroe em O Pecado Mora ao Lado não seria nada de chocante comparado com os decotes e saias curtas dos tempos de hoje. Na sétima arte, as mulheres vestem-se menos e despem-se mais do que os homens. Da amostra analisada, 28,8% das atrizes usaram roupas reveladoras, ao passo que apenas 7% dos atores masculinos mostraram um bocadinho mais de pele. Quando toca a nudez, a percentagem de atores que ficaram parcialmente nus sobe para 9,4% e a percentagem de atrizes desce para 26,2%.

Eles recebem mais

Leonardo Dicaprio em O Lobo de Wall Street

Leonardo Dicaprio em O Lobo de Wall Street

Também no cinema, são eles quem leva mais dinheiro para casa. De acordo com a revista Forbes, os 10 atores mais bem pagos de 2013 receberam 465 milhões de dólares. Já as 10 atrizes mais bem pagas tiveram um salário colectivo de 181 milhões de dólares.

Eles ganham mais estatuetas

Em 2010, Kathryn Bigelow foi a primeira mulher a ganhar o Oscar para Melhor Realizador pelo filme Estado de Guerra

Em 2010, Kathryn Bigelow foi a primeira mulher a ganhar o Oscar para Melhor Realizador pelo filme Estado de Guerra

Em 86 anos de história da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, apenas sete produtoras receberam estatuetas pelo prémio de Melhor Filme, oito mulheres receberam o prémio de Melhor Argumento Original e oito por Melhor Argumento Adaptado. A consolidar este panorama dominado pela testosterona, 77% dos membros da Academia responsáveis por votar nos vencedores dos Oscars são homens e apenas uma mulher ganhou o Oscar de Realização.