Uma das mais grandiosas obras de valorização cultural da nação Portuguesa comemora os seus 80 anos. Publicado em 1934 (após vinte anos de preparação) sob total autoria do distinto poeta Fernando Pessoa, o livro Mensagem convoca, enquanto obra simbólica de caráter épico-lírico, a essência dos portugueses e a sua missão a cumprir, em vida.

Ao assumir-se um marco indiscutível na História da Literatura Portuguesa e de toda a Lusofonia, Mensagem é, este ano, alvo de homenagem e lembrança particular. A casa portuguesa dedicada, por excelência, ao poeta português, não deixa de comemorar a data e apresenta, entre fevereiro e novembro, um ciclo de oito distintas apresentações à luz da Mensagem .

Oito olhares e visões sobre a obra que se revelam expressões artísticas singulares e de diferentes âmbitos providenciam assim uma abordagem distanciada da época de nascimento da obra em prol da inevitável inserção de uma contemporaneidade presente.

‘’Requiem para os dias de espera’’, o primeiro dos oito eventos, realizou-se a 13 de fevereiro sob autoria de Tiago Vieira, encenador formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Uma peça que primou pela emoção e reflexão incidiu na temática do tempo, revertendo, inevitavelmente, para a ideia de memória, recordação, de anseio e de passagem. ‘’Transformar o Verbo em Acção’’, como o encenador enfatizou, foi o mote para uma peça forte que não deixou de parte a criatividade.

O segundo olhar sobre este trabalho de Fernando Pessoa ocupar-se-á do final de tarde de 13 de março. Sob coreografia e criação de Paulo Jesus, A Mensagem tornar-se-á, desta vez, objecto de interpretação e celebração através do movimento, da dança.

O ciclo não perde continuidade e as seguintes datas estão, desde já, estipuladas: a 13 de Abril, o contratenor Manuel Brás da Costa adiciona ao programa o canto lírico; a 8 de Maio, Sara Franqueira aborda a área da cenografia; a 10 de Julho, o ator Miguel Manaças apresenta uma performance; Em Setembro, dia 11, Luís Lucena expressa-se através do design de som/música; a 9 de Outubro regressa ao ciclo o teatro, com uma peça de Ana Nave e, por fim, o Grand final fica a cargo do ator Hélder Gamboa, a 30 de Novembro.

Todos os espectáculos têm lugar na Casa Fernando Pessoa pelas 18,30h e a entrada é grátis, sujeita, no entanto, ao limite dos lugares disponíveis.