Sofia Macedo é uma das criadoras que concorreram ao Sangue Novo, plataforma da ModaLisboa dedicada ao design com cunho jovem. Através de uma entrevista com esta jovem, que trabalha atualmente na área têxtil, o Espalha-Factos lança um olhar atento sobre o trabalho de Sofia, que se apresentará pela segunda vez no maior certame de moda nacional.

Espalha Factos: Que conceito trazes na bagagem?

Sofia Macedo: O conceito que vou apresentar nesta coleção é Etymon, que resulta da palavra étimo e expressa a ideia de origem. Estaremos sempre ligados e seremos sempre influenciados pelo ponto de partida, pela nossa origem, pois é a partir dela que pautamos todo o nosso percurso e acabamos por ser aquilo que vivemos…

EF: O que te suscitou inspiração?

SM: O facto de, quando criança, ter saído do meu país, com a minha família, permitiu-me ter contato com outras culturas, novas pessoas, realidades completamente diferentes da minha, foi um marco na minha vida e influenciou a construção daquilo que sou hoje. A minha história de vida foi a inspiração para esta coleção, pois nada melhor do que poder dar a conhecer o meu percurso, para que se possa compreender o que materializo nas minhas criações.

1

A moodboard que reflete as inspirações de Sofia Macedo, que retornou às suas origens para desenhar a nova coleção que apresentará nos Paços do Concelho.

EF: O que vamos poder ver, relativamente a silhuetas, cores e materiais?

SM: A coleção apresenta um look moderno, descontraído, elegante e atual. Ao nível de materiais vamos ver diferentes contrastes como jacquards, lãs, cupros, pele e jerseys. Este trabalho contempla uma variedade de cores que passa pelos tons de azul, bordeaux, laranja acobreado e preto.

EF: De que forma encaras a seleção para o Sangue Novo? O que te motivou a participar?

SM: Encaro como uma oportunidade única para os jovens criadores, uma experiência em que podemos aprender muito junto de grandes profissionais e trocar conhecimentos, enriquecendo-nos não só como pessoas, mas também como aprendizes do mundo da moda. O que me motivou a participar foi o facto de ser apaixonada pela criação e, uma vez que atualmente desempenho outras funções na área têxtil, sempre que tenho uma oportunidade agarro-a sem olhar para trás, pois assim posso divulgar o meu trabalho, já que o impacto deste evento atinge grandes proporções, sendo a segunda vez que participo e apresento.

EF: Design de autor é o caminho a seguir?

SM: Sim, é um caminho a seguir. No entanto, é o mais difícil, dada a falta de apoio aos jovens criadores que estão a iniciar a sua carreira e não têm capital para investir. O mundo da moda é um mundo de criatividade, de reinvenção e o Sangue Novo mostra isso mesmo.

2

Cinco coordenados compõem uma coleção casual chic que equaciona em proporções semelhantes a juventude e a sobriedade.

EF: Tens alguma referência de estilo, uma figura que te inspire…?

SM: A minha inspiração resulta do meu dia-a-dia, das pessoas com que cruzo, do meu trabalho na área têxtil e dos conhecimentos que dele retiro. A minha família também influencia o meu trabalho, na medida em que me proporcionou uma experiência de vida que me permitiu regressar às origens e deu origem a esta coleção.

EF: Além deste, que outros objetivos queres cumprir?

SM: O objetivo maior que me proponho a cumprir neste momento é dar a conhecer o meu trabalho, através de oportunidades como esta, tentando assim dar sempre o meu melhor. Dada a dificuldade de planear o futuro, procuro aproveitar todas as oportunidades, de modo a amadurecer o meu trabalho. Enquanto designer procuro crescer.

A sua coleção, Etymon, vai ser apresentada no próximo dia 7 de março, nos Paços do Concelho, a partir das 18h30, com entrada livre.