No passado sábado à noite, 1 de março, o Musicbox recebeu a entrega de prémios da 4ª edição do Shortcutz Lisboa. A noite foi apresentada por Sandra Almeida e Nuno Gervásio e os prémios entregues por convidados como Ivo Canelas, Vitória Guerra, Rui Pregal da Cunha, Alexandre Cortez, Fernando Galrito e João Rui Guerra da Mata.

Começamos com aquilo que, no fim, se pôde considerar um dos melhores momentos da noite: a performance de Live Poetry Video pelo poeta e slammer José Anjos, acompanhado com um delicioso live video de João Pinto recheado de referências cinematográficas que foram desde Buster Keaton a Ingmar Bergman.

A estrela da noite foi a curta-metragem O Reino, de Paulo Castilho, que arrecadou cinco galardões: Melhor Curta, Melhor Realizador, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte e Melhor Curta Shortcutz Network; Bué Sabi, de Patrícia Vidal Delgado, ganhou Melhor Produção e Melhor Atriz (Inês Worm Tirone); Herculano, de Sérgio Graciano, conquistou Melhor Música Original e Melhor Ator (Miguel Borges); a Mulher Mar, dos irmãos Filipe e Pedro Pinto, coube receber Melhor Som e Melhor Montagem; para Melhor Argumento foi distinguido Sob, de Nuno Prudêncio; O Cágado, da dupla Pedro Lino e Luís da Matta Almeida, ganhou Melhor Animação e Memories Under (De)Construction, de André Agostinho, Melhor Documentário.

Intercalados com entrega de prémios, atuaram Joana Barra Vaz, acompanhada de João Gil dos You Can’t Win Charlie Brown, e Pedro Puppe, também acompanhado por João Gil. Performances interessantes que se perderam no desinteresse do público, que preferiu ignorar o silêncio que o momento mais intimista pedia e “abafou” vozes e instrumentos que mereciam mais respeito e consideração.

Como já anunciado, o Prémio Futuro foi atribuído à Lisboa Film Comission e o Prémio Figura Shortcutz ao Festival Queer Lisboa. Ficámos também a conhecer o vencedor dos Jameson Empire Awards Done in Sixty Seconds, João Carrilho e o seu remake de Vertigo, que irá representar Portugal na final em Londres. O prémio de Melhor Videoclip Offbeatz foi conquistado por D’Alva com Homologação.

É bom saber que ainda há quem acredite no cinema português e lhe reconheça e premeie o mérito, especialmente às curtas-metragens, formato tendencialmente ignorado ou visto como “menor”. Ficamos à espera de mais revelações no mundo do cinema português, esperando que nos continuem a orgulhar com os seus sucessos.

1956933_810583658956006_1463820935_o

Foto: Nuno Gervásio (apresentador da cerimónia)