Esta semana foram apenas cinco os países a divulgarem as músicas que apresentarão no Festival Eurovisão da Canção. Na nossa volta pela Europa, há do pior, do melhor e também alguns repetentes. Vê as novidades todas e vai desenhando o ranking das tuas favoritas. Já só faltam dois meses e três dias. 

A Estónia escolheu a sua representante este sábado. Tanja é a escolhida pelos bálticos. Amazing é a canção que competirá por um lugar na final do dia 10 de maio. A apresentação em palco faz lembrar Euphoria, mas estamos perante algo que é mais do que uma imitação. Uma canção pop com muita energia e uma performance ao vivo de grande competência. É impressionante, com uma coreografia tão difícil, não falhar nenhuma nota. Temos candidata!

O mais fraquinho dos Big5 parece não quer largar o seu posto. A França volta a desapontar. Contra as expectativas dos eurofãs foram os Twin Twin a merecer a escolha do público gaulês. A canção, escolhida durante um mês e anunciada num programa transmitido durante a tarde de domingo, dá a ideia de que neste autocarro eurovisivo o país é mesmo um condutor de fim de semana. Um refrão ad eternum, um Moustache muito mal aparado. Não nos parece que esta entrada-paródia vá dar grande resultado com o resto da Europa, mas os Jedward ficaram em oitavo, não foi?

A Irlanda é o país que mais vezes venceu o Festival da Eurovisão, com sete prémios arrecadados. No entanto, os últimos anos têm sido difíceis. Nos últimos treze concursos apenas conseguiu marcar presença no top10 em três. O grupo formado pelos Can-linn & Kasey Smith será responsável pela representação em 2014, numa participação que junta uma melodia pop bastante simples aos sons tradicionais da música celta.

Os lituanos continuam sem ganhar a Eurovisão. Assinalam este ano a sua vigésima participação e são dos poucos países de Leste a continuar sem levantar a taça. Este ano, depois de um processo de seleção que durou vários meses, a escolhida foi Vilija Matačiūnaitė. Attention é a canção da Lituânia: uma música monótona e pouco ajustada à voz da jovem cantora, que soa metálica e desagradável durante a maior parte dos dolorosos três minutos de duração. Porém, o cenário da final nacional era bastante bonito.

Na Roménia, os repetentes Paula Selling e Ovi saltaram para a vitória, apesar de não terem merecido a preferência do televoto. A dupla, que ficou em terceiro lugar no Festival de 2010, alcançando o melhor resultado para este país de leste, volta ao certame com um Miracle que querem que os leve à vitória. Voltam a apostar num tema dance com forte presença das teclas e onde os vocais de Paula ganham especial imponência na parte final da canção. Os efeitos visuais ajudam uma atuação que, no palco de Copenhaga, pode ganhar força superior.

Breves:

  • A televisão espanhola divulgou os resultados do televoto da sua final nacional e Ruth Lorenzo venceu por uma diferença inferior a quatro pontos percentuais. Recordamos que, na votação do júri, a segunda classificada Brequette estava em primeiro.
  • Helena Paparizou, vencedora do ESC em 2005, conseguiu escapar com vida ao Andra Chansen do Melodifestivalen e será uma das candidatas à vitória no próximo sábado, embora Sanna Nielsen, uma veterana nestas andanças, surja como grande favorita. O alívio na cara da diva eurovisiva foi notório. Resta saber se alguma coisa mudará na atuação para tentar evitar a derrota na finalíssima.
  • Dizem que é hoje que o Reino Unido apresenta o seu participante no Festival da Eurovisão. Estamos expectantes para ver quem ressuscita desta vez.
  • Os azeris escolheram como sua representante a cantora Dilara Kazimova. O tema que interpretará só será conhecido nos próximos dias. Como tem sido habitual, o Azerbaijão optou por uma seleção interna para chegar à sua música.
  • Na próxima edição da rubrica Rumo à Eurovisão, dia 10 de março, já vamos saber quem passou à final do Festival da Canção e conhecer os representantes de Israel, Suécia, Dinamarca e Montenegro. A não perder.