Belén Rodrigo, do jornal espanhol ABC, avaliou os jardins de Lisboa e escolheu os 10 melhores para a lista de espaços verdes “grandes, pequenos, românticos, barrocos ou modernos” da capital lusitana.

A seleção começa com uma premissa: a beleza é o que joga a favor dos espaços verdes lisboetas. A primeira sugestão é o Parque Eduardo VII, pela sua vista sobre a capital. O relvado e a calçada portuguesa, bem como a proximidade da Estufa Fria colocaram-no no topo das opções da correspondente espanhola.

Perto deste encontra-se o Jardim da Gulbenkian, cujos responsáveis são os arquitetos paisagistas Ribeiro Telles e António Viana Barreto. A combinação dos lagos e dos caminhos por entre a diversidade de árvores valeram-lhe a caracterização de “oásis no centro da cidade”7888585_Fohkm

A zona da Ajuda conta com dois espaços verdes na lista de Belén Rodrigo. O primeiro é o Jardim Botânico, mandado construir pelo Marquês de Pombal com o intuito de instruir os jovens príncipes – alguma flora ainda origina do mandato de D. José. O outro é o Jardim da Tapada das Necessidades, um dos mais antigos na Europa. Remonta ao século XVII e foi mandado construir por D. João V.

Em sugestões um pouco mais alternativas podemos encontrar o Jardim Zoológico de Lisboa e o Parque Florestal do Monsanto. O primeiro permite o contacto com uma vastidão de fauna e flora ibérica, desde a sua abertura em 1884. Já o segundo é versátil, permitindo percorrer os seus 900 hectares a pé ou de bicicleta, bem como experimentar outras atividades ou ainda fazer piqueniques.

Em Belém, o Jardim Tropical, anteriormente conhecido como Jardim do Ultramar, é o local indicado para passeios românticos ou na companhia da família. Outro jardim tranquilo é o Jardim do Torel, situado nas redondezas do Campo dos Mártires da Pátria, no miradouro do qual é possível apreciar a vista sobre o rio e a baixa lisboeta.

O Jardim da Estrela é descrito pela autora como o que “mais se aproxima do conceito romântico inglês de parque”. O destaque vai para as atividades culturais que nele ocorrem e, concluindo a seleção feita pela cronista, encontra-se o jardim do Príncipe Real. Aqui encontram-se lisboetas de nascença em contacto com turistas, e ainda se realiza o mercado biológico todos os sábados.

Percursos-Jardins-Telmo-Miller_1104