A Rússia está atualmente nas bocas do mundo devido aos Jogos Olímpicos de Inverno, realizados em Sochi. No entanto, não é só isso que está a chamar a atenção ao público: também a emergente existência de leis penais que prejudicam as comunidades com orientações sexuais que não a heterossexual (homossexuais, bissexuais, transsexuais e hermafroditas, entre outros géneros) são um choque para a maioria da população.  O projeto Proud to Protest surge como uma associação entre a SHOWstudio e o designer Garreth Pugh, apoiando a campanha da Amnistia Internacional com o objetivo de sensibilizar o mundo para os abusos de direitos humanos que ocorrem na Rússia.

Garreth Pugh e a realizadora Ruth Hogben produziram um filme curto, que reflete no caos e no controlo, na ilusão e na propaganda, e na necessidade de haver uma resposta unificada contra as recentes ações na Rússia. Nomes conhecidos da indústria da Moda, como Kate Moss, Katy England, Henry Holland, Caryn Franklin, Liberty Ross, entre muitos outros, deram também a cara por este projeto numa série de pequenos filmes de 20 segundos, sob o cunho da SHOWstudio.

Os primeiros filmes foram divulgados a 14 de fevereiro, coincidindo com o início da Semana de Moda de Londres, e, claro, durante os Jogos Olímpicos de Sochi.

O objetivo do projeto é o simples cumprimento dos direitos humanos e a ideia de que o amor, como direito que é, não deve ser condenado ou perseguido. O fundador da SHOWstudio, Nick Knight, comentou: “Será que a humanidade ainda não aprendeu nada? A situação na Rússia é um grande passo para trás para um mundo esclarecido.”.

Quem quiser poderá também apoiar este projeto, ao publicar um vídeo na rede social TwitterVê aqui os vídeos.