A partir de 2 de abril, a companhia low-cost Ryanair passará a ligar o Porto à capital. Durante toda a semana será possível voar entre as duas cidades, mas apenas num sentido, uma vez que os voos se realizarão de manhã.

Este voo seria indicado para os clientes que pretendessem deslocar-se entre as duas cidades antes de um dia de trabalho, ainda que o facto de não poderem regressar no próprio dia possa ser um contratempo. O avião do Porto para Lisboa parte às 6h40, e o de regresso à Invicta partirá no intervalo entre as 7h55 e as 8h05.

Para além deste trajeto, a companhia irlandesa abrirá três novas rotas (subindo para 38 o número de trajetos), para Rennes e Limoges, em França, e a ligação ao segundo aeroporto de Bruxelas (Zaventem). Contudo, os voos para França estão limitados aos meses de verão. Até dia 24 de fevereiro será possível adquirir passagens para os novos destinos a preços reduzidos (a partir de 19,99€), mas a conferência de imprensa não deixou em aberto outras campanhas promocionais. Luis Férnandez-Mellado explica que, apesar de os preços variarem consoante o destino e a antecedência da compra, o preço médio é de 48€ – substancialmente menor que noutras companhias.

Quando contactados pelo Público, a CP mostrou não se sentir afetada pela possível concorrência aos trajetos do Alfa Pendular e do Intercidades. Para além das tarifas com desconto, se adquiridos com 5 dias de antecedência – face à antecedência necessária na compra de bilhetes de avião, refere o conforto dos comboios na medida em que não há controlo de segurança nem esperas necessárias.

A Associação de Turismo do Porto e Norte também vê com bons olhos a nova rota da Ryanair, já que se espera um aumento na procura de alojamento durante a semana e em época baixa. Luis Férnandez-Mellado explica a quem critica esta escolha de horários que se trata de uma operação experimental, e invoca as viagens Porto-Faro como um caso de sucesso.

A low-cost irlandesa tem vindo a ganhar o seu território no nosso país, e em poucos meses terá um lugar fixo também na capital. O crescimento do número de passageiros da companhia não deverá chegar aos 5%, o que representa o número mais baixo dos últimos anos. Ainda assim, Portugal demarcou-se dos outros países, mostrando o maior crescimento. A Ryanair está empenhada em elevar a qualidade dos seus serviços e ofertas, passando a aceitar uma segunda bagagem de mão, trocas de voos no prazo de 24 horas e a existência de lugares marcados. Esta é uma tentativa de responder às críticas dos clientes.

Durante os próximos 5 anos, a Ryanair propõe-se a aumentar o número de passageiros transportados na Europa de 81 para 110 milhões. O percurso passará por aumentar a frota com a aquisição de cerca de 175 aviões.