Último dia de GUIdance e o Espalha-Factos foi ver Abstand de Luís Marrafa à Black Box da Plataforma da Artes e da Criatividade.

Num dueto entre dois homens, Abstand fala da distância entre as pessoas. Como reagíamos perante o outro, como damos resposta ao que nos rodeia e como nos alteramos face ao exterior. Apesar do movimento e das multidões das metrópoles, é nesses locais hiper preenchidos que nos sentimos mais sós e claustrofóbicos, como se o outro se apoderasse do que realmente somos. Mas e se em cada um de nós existisse uma espécie de metrópole que nos faz sentir tanto preenchidos como ocos?

O  toque e reação entre os dois intérpretes era a peça central deste espetáculo. Gestos que tanto eram precisos como fluídos, surgiam num encadeamento contínuo com poucas pausas. Sempre com o espaço delimitado pelo desenho de luz, através de contorções ou saltos, havia uma luta constante para que houvesse uma libertação do próprio sujeito. Só reduzindo a distância interior seria possível chegar ao outro, outro esse do qual depende.

ABSTAND

Abstand é um espetáculo cheio de contrastes: há confrontos violentos e aproximações quase que apaixonadas; há coordenação até no respirar e desfasamento em toda a coreografia. Há o eu e o tu numa harmonia, mas também há uma distância. Um espetáculo que poderia ser reduzido apenas às partes interessantes, mas cujo conceito e coreografia estão bem pensados.

 http://youtu.be/NJNpFdub-vQ

Conceção e Coreografia: Luís Marrafa

Cocriação: Luís MarrafaAntónio Cabrita

Música: Luís Marrafa

Desenho de Luz: Luís Marrafa

Duração:45min