A rubrica “5” pretende trazer aos leitores cinco factos cinematográficos de 15 em 15 dias. O tema desta semana centra-se em remakes arriscados que conseguem ser tão bons ou melhores que os filmes originais. 

A palavra “remake” assombra a cabeça de muitos entusiastas de cinema. Mais de metade das adaptações acaba por não funcionar – o que aumenta o desespero dos fãs do filme original – e demonstra a falta de ideias dos estúdios. O conceito, muito utilizado na actualidade, realça ainda a ganância dos estúdios em fazer dinheiro rapidamente.

Felizmente, existem casos diferentes. Com pequenas alterações no enredo ou homenagens que reinventam o filme original, existem remakes que superaram todas as expectativas e se tornaram em verdadeiros fenómenos de culto.

Aqui estão alguns títulos que surpreenderam os críticos e não envergonham o produto original:

King Kong

King Kong

A adaptação de Peter Jackson não pretende ser melhor nem um substituto do filme original. É uma homenagem com uma grande camada de CGI, um estilo diferente de edição e um elenco um pouco ortodoxo.

Tal como a longa-metragem de 1933, King Kong conta a história de uma equipa de filmagens que está à procura de um local exótico para gravar uma fita.  A ambição do produtor acaba por encaminhar o rumo da história para uma ilha tropical, onde encontram Kong, um gorila gigante que demonstra interesse na estrela principal das gravações – Ann Darrow.

Mais barulhento e sem grandes alterações no enredo, o remake de Peter Jackson foi bem aceite pela crítica e provou que é possível tentar adaptar um clássico intemporal.

Desde 1933 que não surgia um filme tão bom sobre Kong.

Departed – Entre Inimigos

Departed - Entre Inimigos

Departed – Entre Inimigos centra-se na história paralela de um agente da polícia infiltrado num gangue e uma “toupeira” no departamento da polícia. Cada um dos homens assume na perfeição o papel, recolhendo informações sobre os planos e operações de cada um dos lados. Contudo, o sentimento de insegurança e o medo de serem descobertos inicia uma corrida contra o tempo que desafia a sanidade mental de cada personagem.

A longa-metragem de Martin Scorsese é uma adaptação do filme asiático Infernal Affairs – Infiltrados. Encaixado na cultura actual dos Estados Unidos da América, demonstra-nos as semelhanças entre organizações criminosas da actualidade e a máfia nos anos 30.

Leonardo DiCaprio, Jack Nicholson e Matt Damon fazem parte do enorme elenco de luxo de Departed – Entre Inimigos e ajudaram Martin Scorsese a alcançar outro Oscar na categoria de Melhor Filme em 2007.

Scarface – A força do poder

Scarface - A força do poder

A performance fantástica de Al Pacino, o uso da violência gráfica e a enorme controvérsia sobre os temas relatados no filme, elevaram a adaptação de Brian de Palma ao estatuto de filme de culto.

Scarface – a força do poder conta a história do império de droga criado por Tony Montana (Al Pacino), um dos vilões mais famosos na história do cinema, e a forma como este não olha a meios para atingir os fins. 

Fortemente enraizado na cultura pop – devido ao enorme número de referências em videojogos e séries – e censurada em vários países, esta longa-metragem supera em muitos indicadores o filme original de 1932.

O Renascer dos Mortos

Renascer dos Mortos

George A. Romero – também conhecido como o “Rei” dos Zombies – começou uma das obsessões culturais mais mencionadas no mundo, o fenómeno dos mortos-vivos, com um dos filmes que atingiu mais sucesso dentro do género, Zombie, A Maldição dos Mortos-Vivos, em 1978. A violência sem limites num cenário apocalíptico foi um autêntico sucesso.

Contudo, em 2004, Zack Snyder (com a ajuda de George Romero) adaptou a história dos sobreviventes de uma epidemia mundial que se refugiam num centro comercial. Surpreendentemente, o realizador conseguiu captar a essência do original com efeitos especiais ainda mais aterrorizadores e um enredo que presta uma excelente homenagem à fita de George Romero.

Foi uma aposta arriscada que correu quase na perfeição.

Veio do Outro Mundo

Veio do Outro Mundo

O verdadeiro remake de Veio do Outro Mundo (esquecendo a adaptação desapontante de 2011) foi realizado por John Carpenter, em 1982.

Inspirado na obra literária Who Goes There?, de John W. Campbell Jr., esta longa-metragem conta a história de uma equipa de 12 exploradores numa estação de pesquisa na Antárctida que descobre um ser extraterrestre enterrado na neve há mais de 90 mil anos. Após ser descongelada, a criatura consegue transformar-se em qualquer coisa orgânica, criando o caos e a destruição no centro de pesquisa dos cientistas.

Aclamado como um dos melhores filmes de terror de sempre, esta visão de John Carpenter assume a forma de um massacre nojento e sangrento que mexe com os nossos medos mais obscuros. Recheado de efeitos práticos que envergonham muitos filmes da actualidade, constitui uma adaptação desconcertante e uma autêntica delícia para aqueles que gostam de fitas recheadas de gore.

Este é um daqueles filmes que nunca mais vamos querer ver na vida, mas que ficará para sempre marcado na nossa cabeça devido ao conteúdo chocante e exagerado.

*Por opção do autor, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945