Em março chega ao Páteo da Galé mais uma edição da ModaLisboa. Sob o tema Vision, a fórmula Sangue Novo traz a renovação necessária ao evento e a aposta nos jovens criadores portugueses, sobretudo depois da saída de quatro marcas do calendário. 2ID por Sara Seidi e Rúben Damásio estão entre os participantes desta plataforma.

Sara e Rúben são dois designers recém-formados na escola MODATEX, em Lisboa. A exposição Multiply possibilitou-nos uma entrevista com o seu trabalho enquanto finalistas. Ambos uniram-se para concorrer ao Sangue Novo, um dos concursos de moda mais notáveis do país, com o cunho da Associação ModaLisboa. O Espalha-Factos conversou com os dois jovens criadores e assim ficamos a conhecer um pouco mais sobre o que os inspira e motiva.

Espalha Factos: Que conceito trazem na bagagem? 

Rúben Damásio: O nosso conceito baseia-se na complexidade mental dos jovens nos dias de hoje, a instabilidade emocional e o comportamento de inatividade, de vazio, daí o nome da coleção ser intitulado de NUMB 2.

EF: O que vos suscitou inspiração?

RD: Para interpretar esse estado, a nossa inspiração visual partiu de labirintos (estampados) que se desconstroem ao longo da coleção.

EF: O que vamos poder ver, relativamente a silhuetas, cores e materiais?

Sara Seidi: A coleção tem como referência o sportswear e apresenta um look descontraído e atual. Apresenta diferentes contrastes de materiais como organzas, sarjas, peles sintéticas, malhas, algodões e feltros.

2id

A moodboard de inpiração da coleção NUMB 2, com as respetivas cores.

EF: De que forma encaram a seleção para o Sangue Novo? O que vos motivou a participar?

SR: O Sangue Novo é uma oportunidade para os jovens designers apresentarem o seu trabalho e adquirirem mais conhecimentos. Para nós é um desafio pessoal. Finalizámos o curso de design de moda recentemente e resolvemos arriscar.

EF: Design de autor é o caminho a seguir? 

RD: É dificil nos dias de hoje planear um futuro previamente, mas temos o objetivo de conhecer melhor esta indústria e aproveitar as oportunidades que nos surgem. Como designers, temos a ambição de crescer e amadurecer o nosso trabalho. Optámos por participar como uma parceria para esta coleção. Ainda é tudo muito recente, por isso, queremos receber o feedback do público e viver esta experiência, como jovens que somos.

EF: Tens alguma referência de estilo, uma figura que vos inspire…?

SR: Ambos temos como forte referências o sportswear e o streetwear.

EF: Além deste, que outros objetivos queres cumprir?

RD: Temos como objetivo entrar no mercado e apresentar mais coleções futuramente.

A 7 de março o público da ModaLisboa Vision poderá conhecer o trabalho destes dois jovens, às 18h30 no Páteo da Galé. A entrada é aberta ao público.