Por forma a teres com que te entreter no Dia dos Namorados, o Espalha Factos reuniu um conjunto de sugestões literárias por forma a ficares a conhecer histórias românticas e inspiradoras. Este é o nosso top 10 de sugestões literárias para adoçares este dia.

1. O Diário da Nossa Paixão (The Notebook) – Nicholas Sparks

notebook

Publicado em 1996, este primeiro romance de Nicholas Sparks conta a história de Noah Calhoun, um homem já idoso que todos os dias lê para uma mulher uma bela história de amor, escrita num diário. Uma história de um amor aparentemente impossível, que sobreviveu ao tempo, e cuja magia invade a mulher, que já não se recorda de quem foi.

Noah era um simples rapaz sulista, e Allison Nelson, uma jovem rapariga pertencente à alta sociedade. Ambos se apaixonam apesar das diferenças que tornam este romance impossível. O dever leva-os a separarem-se, e 14 anos depois, por obra do destino, os dois reencontram-se, e a chama da paixão reacende-se entre ambos, mesmo Allie estando já comprometida com outro homem.

A primeira e uma das mais famosas obras de Nicholas Sparks, O Diário da Nossa Paixão é notavelmente romântica pelo seu final, que demonstra que um amor que é verdadeiro sobrevive a todas as barreiras, mesmo às do tempo e da distância.

2. Nossa Senhora de Paris (Notre-Dame de Paris) – Victor Hugo

victor-hugo-57467920

Notre-Dame de Paris passa-se na França do século XV; o romance de Victor Hugo além de retratar a corrupção e as divisões sociais visíveis na época, foca-se numa disputa desonesta na qual se vêm envolvidos três homens que visam conquistar o amor de uma mulher, mais especificamente da bela cigana Esmeralda.

No entanto é o tipo de amor que o sineiro de Notre Dame, Quasimodo, sente por Esmeralda que faz com que esta história tenha o seu lado romântico: o corcunda zarolho e surdo, ao início retratado como sendo um pária, apaixona-se pela jovem pelo facto de a mesma o ter tratado com simpatia, oferecendo-lhe água após ele ter sido chicoteado na praça pública. Este tipo de amor inocente contrasta com os sentimentos de desejo e luxúria que outros homens na história (mais especificamente o arquidiácono, Claude Frollo e o Capitão da Gurda do Rei, Phoebus) sentem pela cigana.

Apesar de Quasimodo nutrir por Esmeralda uma grande afeição (salvando-lhe a vida uma vez), esta não é correspondida. A cigana ao longo da história resolve dedicar-se a um amor que apenas a conduz à sua eventual condenação. Mesmo no final, a dedicação do sineiro pela rapariga é notável e comovente, na medida em que os dois acabam (literalmente) juntos para sempre.

3. Expiação (Atonement) – Ian McEwan

images

No Verão de 1935, Briony Tallis de 13 anos de idade cometeu um erro aparentemente inocente mas que acabaria por arruinar a vida da sua irmã Cecilia e do seu amante e amigo de infância Robbie Turner. Robbie é preso sob uma falsa acusação de violação o que mais tarde o leva a envolver-se em confrontos na França durante a Segunda Guerra Mundial.

O casal separado pelo ato da pequena Briony, apesar de quererem e visarem procurar a felicidade terão de passar por muitas provações. Na segunda parte desta obra seguimos a narrativa do ponto de vista de Robbie; gravemente ferido e marcado pelas atrocidades que presenciou na segunda Grande Guerra, o jovem ainda assim vai aumentando a sua determinação de voltar para junto da sua amada, que espera ansiosamente por ele.

No fim, Briony, com 77 anos de idade e romancista de sucesso, encontra uma forma de (figurativamente) dar a Cecilia e Robbie a felicidade e o final feliz que lhes foram negados por culpa do seu erro de há 64 anos atrás.

4. Travessuras da Menina Má (Travesuras de la niña mala) – Mario Vargas Llosa

TravesurasDeLaNinaMala

Travessuras da Menina Má é uma obra do conceituado escritor peruano Mário Vargas Llosa. Um romance que nos faz perguntar mas o que é afinal amar. Quando se ama alguém temos de nos sujeitar aos caprichos do outro? Um livro que retrata uma história de amor autêntico e eterno, mas não correspondido. Roçando entre o real e o ficcional, esta é uma obra de leitura fácil, rápida e obrigatória que nos faz sofrer e suspirar a cada capítulo. É uma forma diferente de abordar o amor que por vezes é tão cego que não permite uma avaliação coerente das intenções do outro.

Travessuras da Menina Má conta a história de Ricardo Somocurcio, um peruano que cumpre o sonho da sua vida: viver em Paris. Um dia é surpreendido com um amor de criança. Aparece Lily, uma mulher manipuladora e indefinida que o leva à loucura de cada vez que desaparece, mas assim que surge de novo deixa Ricardo a seus pés. Mas a Menina Má não ama Ricardo, ela não ama ninguém porque para ela não existe amor, apenas ambição e poder.

São muitas as viagens que Ricardito faz e os países para onde Lily desaparece. É desta forma que Vargas Llosa nos faz revisitar grandes momentos do séc XX: a revolução de Cuba, as lutas revolucionarias parisienses, os alternativos hippies ingleses, os mafiosos de Tóquio e a trasição política de Madrid.

5. Nunca Me Esqueças (Remember Me) – Lesley Pearse

928940

 

Nunca Me Esqueças, de Lesley Pearse, conta a história verídica de Mary Broad (Mary Bryant), uma reclusa transportada para a Austrália em 1786 após ter sido capturada por roubo.

Desengane-se quem pensa que este é um conto de amor cor-de-rosa. A obra é um relato nu e cru das tragédias que Mary teve de suportar, bem como dos vários tipos de amor que veio a conhecer ao longo da viagem e da estadia na colónia: um amor platónico por um homem que nunca poderia ter; um amor contratual, recebendo protecção de um comandante a bordo do navio em troca de favores sexuais; o amor pelo marido na colónia, marcado por uma devoção imensa; e, por fim, o amor de mãe, para sempre incondicional perante as duas crianças que se tornam no seu bem mais precioso.

Nunca Me Esqueças é uma narração comovente sobre a forma como, apesar de todas as injustiças sociais e trabalhos cruéis a que uma pessoa possa ser sujeita, não há nada pior do que perder alguém que amamos – mais do que uma vez.

6. Um Dia (One Day) – David Nicholls

transferir


One Day, traduzido para Um Dia, foi o terceiro e último livro escrito por David Nicholls, reconhecido pelo trabalho como guionista para televisão e cinema, e publicado em 2009. A história de amor dos protagonistas Emma e Dexter acabou por chegar a um maior número de pessoas em 2011, a ser adaptada em filme com Anne Hathaway a interpretar a protagonista.

Em One Day, Dexter e Emma conhecem-se a 15 de julho de 1988, o último dia do curso superior dos dois. No dia seguinte “terão de seguir caminhos diferentes” e não se sabe o que andaram a fazer, onde estarão daqui a vinte anos. O leitor apercebe-se, por mais voltas que Emma e Dexter possam dar, que foram feitos um para o outro. Encontram-se em muitas ocasiões e apela-se para que, quer um quer outro, consigam ganhar coragem e declarem o amor que sentem um pelo outro.

A banalidade e simplicidade da história de One Day acabam por ser um trunfo: as pessoas consomem histórias de amor e querem identificar-se com elas.

7. Fazes-me Falta – Inês Pedrosa

 transferir (1)

Fazes-me Falta foi publicado em 2002 e é o livro mais reconhecido de Inês Pedrosa. A história é contada por duas vozes: a de uma jovem, morta por uma gravidez ectópica – uma gravidez que ocorre nas trompas de Falópio ao invés de ser no útero – e de um senhor mais velho, vivo e devastado a morte da amiga.

Não se trata de uma história de amor, de dois apaixonados a conversarem depois da morte de um deles. Em Fazes-me Falta fala-se sobre a saudade, a ausência de um amigo, levado pela morte. Este livro é uma ode à saudade, ao desaparecimento definitivo do ser humano. Mas, apesar de toda a cor cinzenta que inunda as páginas desta obra, há uma grande quantidade de amor. Há também lugar para a reflexão e momentos para a descrição de uma amizade verdadeira.

8. Inferno Dan Brown

 images (1)

Qualquer fã dos livros de Dan Brown não vai lê-los pela grandiosa história de amor relatada. Há uma personagem feminina a acompanhar Robert Langdon, personagem presente na grande maioria dos livros deste escritor, e neste InfernoSienna Brooks, a tal mulher que acompanha sempre o professor de história nas suas aventuras.

O professor acorda num hospital em Florença e não se recorda do motivo que o levou a ser internado e porque se encontra em Itália. Todos os mistérios e momentos de suspense, caraterísticas que tornam Dan Brown um dos autores mais vendidos a nível mundial, estão relacionados com a sobrepopulação mundial, que pode levar à destruição da raça humana num período mais rápido do que o esperado. Para além do conhecimento que o leitor adquire sobre este tema, também fica a saber mais sobre a obra Divina Comédia do poeta italiano Dante.

O relacionamento entre Sienna e Robert acontece num plano secundário. Em apenas alguns dias, com a adrenalina a ajudar, estas duas personagens começam a nutrir sentimentos um pelo outro e chega mesmo a existir uma traição pelo meio. Mas, como é evidente, a riqueza do Inferno não está neste relacionamento. Passa-se num plano secundário, à medida que os protagonistas descobrem mais sobre o desastre iminente da Terra.

9. Amor e Chocolate (The Chocolate Run) – Dorothy Koomson

Amor_e_Chocolate

O livro conta a vida amorosa de Amber, a personagem principal, que à sua volta conta com as fortes personalidades da melhor amiga, Jen, e do namorado, Matt, e do seu melhor amigo, Greg. Amber acaba por apaixonar-se por Greg, de quem ela conhece muito bem o passado “mulherengo”. Comparando-o a chocolate, tal como faz com as outras personagens, Amber pensa que consegue avaliar o seu temperamento e personalidade. Dessa forma, acredita que está pronta para o que quer que aconteça ou não fosse ela uma “apreciadora de chocolate”. No entanto, este romance de Dorothy Koomson tem as suas reviravoltas inesperadas. É um livro doce, divertido e também apaixonante, ideal para o dia de São Valentim.

10. Amor nos tempos de Cólera (El amor en los tiempos del cólera) – Gabriel Garcia Marquez

transferirlol

Amor nos tempos de Cólera é um livro do famoso Gabriel Garcia Marquez. É o livro certo para esta época em que o amor está no ar, sendo a prova de que um grande amor resiste ao tempo e aos obstáculos da vida. Um amor juvenil que aguenta uma vida inteira, para ser reatado já em idade avançada, sem ciúmes ou rancores do passado, mas também sem ilusões ou medo do futuro. É a experiência de vida de ambos os amantes que lhes dá a certeza de que as segundas oportunidades são sempre para ser aproveitadas ao máximo, seja em que altura da vida for.

Amor nos tempos de cólera  conta a história de amor de Florentino e Fermina ao longo de mais de meio século. Este casal apaixona-se ainda em adolescente, mas o amor deles não é aceite pelo pai da jovem Fermina que a isola longe do seu apaixonado. Quando volta à sua cidade natal, Fermina é obrigada a casar com o cobiçado médico Juvenal Urbino, com quem passa uma vida feliz e realizada. No entanto, por mais que ame o seu marido, Florentino não lhe sai da cabeça.  E Florentino, apesar das suas variadas experiências com mulheres, não consegue esquecer a sua eterna Fermina.

Após anos de casamento, Juvenal acaba por morrer e é Florentino que está ao lado de Fermina, para a apoiar e a fazê-la ver que há amores eternos e que nunca é tarde de mais para amar.

Artigo escrito por: Sara Sampaio, Tiago Costa, David Pimenta, João Safara, Beatriz Vasconcelos e Marta Spínola Aguiar