De 15 de fevereiro até ao dia 1 de junho, no Museu de Arte de Manchester, estará em exibição uma exposição da artista portuguesa Joana Vasconcelos, intitulada Time Machine.

À peça “Britannia” juntar-se-á a peça “Valquírias” com formas tentaculares de diversas cores e diferentes tipos de tecidos, aplicações de tricô e croché, entre outros adereços. Esta peça começou a ser criada em 2004 e foi inspirada na peça “Contaminação”, que foi exposta, em 2008, na Pinoteca de São Paulo e, em 2011, no Palácio Grassi em Veneza.

Natasha Howes, curadora da exposição, ficou interessada no trabalho da artista portuguesa desde essa altura. Como a mesma referiu à agência Lusa “pensamos que seria interessante trazê-la a Manchester por causa da história da indústria têxtil (da cidade)”. Algumas peças foram criadas para se enquadrarem com outras que já se encontravam no museu, como por exemplo, uma nova peça de uma figura feminina, pintada e coberta por renda e croché, que foi criada para se colocar ao lado da escultura “Atalanta” de John Derwent Wood e ao quadro de “Eve Tempted” de John Spencer Stanhope.

A exposição contará com um total de 20 peças e, para além das três novas “Pinturas em Crochê”, existirá também uma nova peça chamada “Tetris”.

Pela primeira vez, numa exposição da Joana Vasconcelos, estarão expostos três veículos de grandes dimensões como o “Lilicóptero”, um helicóptero decorado com penas de avestruz, “War Games”, que não é nada mais que um automóvel coberto por espingardas de plástico e por fim um triciclo motorizado repleto de estatuetas da Nossa Senhora de Fátima.

Fotografia: Museu de Arte de Manchester

Fotografia: Museu de Arte de Manchester

Outra das novidades é a cor amarela, que será introduzida pelas esculturas mecânicas de “A Todo o Vapor”, onde as culturas são compostas por ferros de engomar que se abrem como pétalas de uma flor e libertam vapor.

Portugal marcará presença na exposição, uma vez que esta peça amarela será colocada entre uma peça verde e uma outra vermelha, de modo a representar as cores da bandeira portuguesa.

No exterior do edifício estarão mais duas peças “Tutti Frutti”, um cone de gelado, e “Fruit Cake”, um queque, ambos de grandes dimensões, da coleção “Delícias”, construídos a partir de brinquedos de plástico de brincar na areia.

Natasha Howes, elogia a artista dizendo à agência Lusa que o seu trabalho é “muito acessível, muito imediato, de grande escala e colorido, mas que depois, com mais atenção, percebe-se as mensagens que transporta”.