Cristina Real decidiu que estava na altura de começar a divulgar o seu trabalho como designer de moda e acabou por ser uma das selecionadas para a plataforma Sangue Novo da ModaLisboa, dedicada aos novos designers.

Traz na bagagem uma formação em Design de Moda na Modatex Porto, antigo Citex, e um estágio como assistente de Alexandra Moura nas coleções Spring|Summer 2013 e Fall|Winter 2013|2014. Cristina Real revela ao Espalha-Factos um pouco mais sobre a nova coleção, Fall – Winter 2014|2015, a apresentar na plataforma da ModaLisboa.

Espalha Factos: Qual o conceito que trazes na bagagem para apresentar no Sangue Novo?

Cristina Real: Para mim, o conceito é muito importante, tem que ser levado até à exaustão, pois é através de uma boa base que as coisas fluem. A coleção denomina-se Interrupção. Este conceito surge a partir do cruzamento de ideias não havendo uma forma inicial em concreto, uma vez que, visualmente, não surge logo a forma mas sim como ela começa. Esta coleção vai sendo criada a partir de linhas retas que vão ganhando forma, através de variadas interrupções de linhas, cor e materiais até ser alcançada a forma final. A inspiração vem do vazio, de uma mente em branco, em que o ponto marca a fase inicial, a linha confere-lhe expressão.

EF: O que te suscitou inspiração?

CR: A inspiração vem de uma nova etapa, de um novo caminho a seguir, que abriu espaço para uma reflexão criativa e uma procura pessoal que se encontra materializada neste coleção, isto é o nome Interrupção que apresento agora no Sangue Novo.

Peça da coleção Pre-Fall 2014 de Cristina Real

EF: O que podemos ver relativamente a silhuetas, cores e materiais?

CR: A silhueta é uma consequência da ideia de Interrupção, não existe uma silhueta propriamente definida mas sim uma espécie de silhueta mutável ao longo de dez coordenados. A Interrupção é exactamente essa liberdade de formas. Está relacionada com a transformação e a sensação de volume. Existem formatos oversize e outros mais pequenos, peças ora retilíneas ora misturadas com outras mais volumosas. Quanto às cores predominantes, destacam-se as primárias, nomeadamente o preto, o azul escuro e o cinza. Por outro lado, como cores secundárias temos o bege, o bege pérola e o rosa velho. Nos materiais são apresentados peles sintéticas, lãs, fazendas, acrílico e organza.

EF: Design de autor é um caminho a seguir?

CR: Sem dúvida que será um caminho a seguir. No entanto, considero que devem existir mais apoios para jovens criadores, elencadas em parcerias com posterior divulgação de projetos, no sentido de motivar os novos designers através da criação de um rumo, pois o início de uma carreira na área da moda requer apoio, perseverança, atitude e também alguma sorte.

EF: De que forma encaras a seleção para o Sangue Novo? O que te motivou a participar?

CR: Senti que estava na altura de começar a divulgar o meu trabalho, logo decidi não ter receio de dar o primeiro passo, pois só com uma atitude positiva podemos alcançar os nossos objetivos. Neste sentido, encaro esta seleção como um desafio e um voto de confiança.

2.Peça da coleção Pre-Fall 2014 de Cristina Real

EF: Tens alguma referência de estilo, uma figura que te inspire?

CR: Inspiro-me em tudo o que está à minha volta, nomeadamente nas pessoas e de que forma é que as mesmas podem contribuir para o meu processo criativo. Também vou buscar ideias a outras culturas, sons, hábitos e memórias, uma vez que nutro uma grande admiração por variados povos e modos de vida diferentes. Considero que o conhecimento de uma vasta variedade cultural pode transportar-nos para um mundo de ideias que poderão agradar a um público mais alargado.

EF: Além deste, que outros objetivos queres atingir?

CR: Neste momento estou concentrada no ModaLisboa, uma vez que é este o objetivo que me ocupa por inteiro. É preciso dar um passo de cada vez, pois nunca sabemos o dia de amanhã. A minha grande meta é vencer-me a mim mesma, recriando-me, crescendo, dando o meu melhor de sempre.

4Peça da coleção Pre-Fall 2014 de Cristina Real